Querida emissora, somos gaúchos

26/08/2015

E não paulistas, cariocas… Por acaso temos cara de flamenguista ou são paulino?

futebol na tv

Não querendo evitar uma discussão, senhora emissora de televisão. Mas acho triste o fato de nós, gaúchos mateadores de erva amarga, termos que dividir o nosso aconchego de quartas e domingo com os demais estados do Brasil. Ora, não encare o meu comentário assim pelo lado negativo. Queremos sim saber o que está se passando com os nossos adversários de ponta, porém, não quero acompanhar sempre os jogos deles e somente deles.

Fazer com que mais pessoas vão ao estádio de futebol para não ficarem em casa assistindo pela TV aberta é bobagem. Pois encarar 90,00 de ingresso está longe da realidade do futebol brasileiro e também do bolso do torcedor. Aí não, né?

Agora chegar a ponto de curtirmos jogos da Copa do Brasil, Libertadores ou Sul Americana jogando o clássico Santos x Corinthians sendo que o RS, o estado mais bairrista que existe nesse país. Aqui não existe aquela palhaçada de ter torcedores gaúchos vestindo a camiseta do Vasco (ah não ser que essa pessoa seja nascida no RJ). Aqui ou tu é Inter, ou tu é Grêmio ou tenha sérias paixões e devoção pelo Cruzeirinho.Alguém sabe por acaso o que está se passando com a Super Copa Gaúcha ou o que está rolando no Campeonato Valmir Louruz? Talvez os feitos do Lajeadense e do Novo Hamburgo não tenha grande expressão para as emissoras abertas ou fechadas. Mas nós gostamos. E sim, curtimos o nosso ruralito em qualquer dia do ano e não só na época dos estaduais.

Talvez o sorteio dos jogos não tenha dado muita sorte pro pessoal do Sul, colocando tanto Inter quanto Grêmio na quinta-feira. Mas faz tempos que os nossos times não tem brilhado nos jogos das 10 da quarta-feira.

Temos o maior quadro social do país. Nossos times do interior possuem torcidas organizadas de ampla expansão (vida Brasil de Pelotas). O Juventude inclusive já jogou na série A. E se quisermos clássicos de verdade fora os da capital, temos o CaJu e o BraPel.

Caju

Seria gentileza e honra nos agraciar talvez, por que não, com  Série Ouro do campeonato de futsal. Ou a Série Prata. Sei lá, nos agrade.

Portanto, dona TV, foi ofertado um bom leque de possibilidades para que nos satisfaça. Pelo menos nós, os gaúchos.

Anúncios

Profissão: torcedor

30/03/2014

Subi no trem, sentei no banco. Pensei: “hoje quero ser um deles”. Não é sempre que você, na condição de jornalista, passa a integrar o grupo dos torcedores. Ainda mais na camufla, como era a minha proposta. Me juntei à massa que se deslocava para à Arena no meio de milhares de pessoas animadas e confiantes. Hoje eu também quero ter essa sensação.

IMG_3598Vesti uma camiseta branca e uma calça preta (o que para mim estava completamente parcial). Este detalhe, por sinal, foi o primeiro item de uma final com clássico que incomodou meus companheiros de jogo. Todos se olhavam. Se eu pudesse ler o pensamento, conseguiria visualizar aquela nuvem em cima da cabeça deles dizendo assim: essa daí veio a passeio. Em um GreNal, preferi adentrar na torcida da casa para evitar um possível tumulto diante dos visitantes. Notei que os portões eram nomeados com as letras do alfabeto, porém na Arena não existe o portão de letra “I”. Sinceramente, acho engraçado essa rivalidade levada tão a sério. Passei a roleta, cheguei no estádio. Por um momento me senti um peixe fora d’água mas quis ir até o fim na minha decisão.

Como a proposta era curtir aquelas horas como torcedora, não deixei de comprar um lanche com refri. Sentei (num acento que não era meu no qual tive que sair dali depois), comi, me sujei de molho e relaxei. Avistei alguns colegas de imprensa trabalhando no gramado. Sorri e tentei dar um tchauzinho discreto com a mão. Notei que um homem acima do peso me cuidava com os olhos. Foi aí que decidi ficar quieta na minha e relaxar. Não foi tão difícil, afinal o DJ da Arena estava inspirado. No telão, shows de Rollign Stones e Foo Fighters. em torno de 5 minutos antes de começar o jogo resolvi comprar aqueles copinhos de água, pois o calor que fazia no dia de hoje, era algo absurdo. Mas mais absurdo era cobrar 3 reais por dois goles de água. Entrei no clima. Reclamei da inflação do lanchinho, discuti com o vendedor de bebidas, só não xinguei o juiz por que daqui uns dias vou precisar entrevista-lo. Não dá para fugir da tua vida.

IMG_3597Ahh mas teve o jogo. Sim, a partida. Foi estranho para mim ver o Edinho de azul. Assim como avistar o Dida, que até ano passado defendia o Grêmio, estar na goleira do Internacional. E nem por isso o nome dele foi o mais vaiado na hora da escalação. Foi D’Alessandro, claro. Mas esse Gre-Nal não foi o camisa 10 que brilhou ali. Tá, não é segredo para ninguém que o Inter venceu o primeiro jogo da final e não vamos polemizar esse post light xingando e apontando quem foi o melhor. O jogo iniciou muito bom mas depois do primeiro gol o Grêmio relaxou legal e o seu goleador, Barcos, ficou mais lento que uma tartaruga. Nesta partida não vou destacar um atleta, vou destacar o bom raciocínio do técnico Abel Braga, que se mostrou firme na posição de deixar Rafael Moura comandar o ataque sozinho e assim vencer de virada na casa do adversário com 2 gols. Mas isso já seria comentário jornalístico. Não?

Senti a aflição da garotinha de azul. Vi uma vózinha chorando. Vi torcidas brigando entre si. Vi vermelho sorrindo e azul chateado. Mas eu vivi tudo isso e tinha esquecido como era bom sentir o momento do torcedor. Sentir o coração bater mais forte. Gritar “uhhh!” e “não foi nada, seu juiz”. Essa sensação me aguarda com ainda mais ansiedade para a  Copa do Mundo. E neste dia, seremos todos por um só.

IMG_3589


O que é que o gaúcho tem

28/03/2014

15146078Charmoso Gauchão. Sai ano, começa ano e lá estamos nós disputando mais um Campeonato Gaúcho. Ganhar é obrigação, perder é vergonhoso. Mas uma coisa todos nós nos perguntamos: Por que és tão feio?

Oras chamado de ruralito, estadual, campeonato do interior, entre outros sinônimos, o nosso torneio é sim um show de diversificações. Busquei saber o que que temos de tão bonito e elegante que a mídia apelidou de charmoso. Aliás, o que é charmoso? Bom, se tratando de gauchismo, essa resposta é fácil. E dentre tantas explicações, o difícil é saber qual a razão do nosso charme.

Aqui falamos goleira, sinaleira, negrinho, cacetinho, bergamota… Você aí de outro Estado, por acaso sabe o que é uma lomba de verdade? Ratiamos, loquiamos, chaveamos. Verbos que incluímos no nosso diversificado vocabulário. Talvez o nosso jeito cantado de falar é que nos deixa com aquele charme particular. “Mas capaz?”  “Te abriu, né?” “Que barbaridade!” são apenas alguns dos nossos dizeres diários que faz o nosso sotaque ser inconfundível.

Não poderia deixar de remeter charme com beleza, pré requisito básico para se nascer aqui. Modelos, apresentadoras, cantoras, miss… De tudo temos aqui. Exportamos vencedoras por sua boniteza para o mundo inteiro, afinal, quem nunca ouviu falar de Gisele Bündchen, Fernanda Lima ou Xuxa? Nossas prendas diretamente de todos os nossos cantos mais baguais. Salve Santa Rosa, Horizontina, Caxias do Sul, Porto Alegre. Ahhh, essas gurias!

mulher-gaucha-bernadeteOutro fato a se destacar é o nosso bairrismo aguçado que aqui abrigamos. Bater no peito e dizer que é faca na bota, xirú bagual e xinoca véia. Esperar o peão com um mate bem amargo com a água pelando. E na churrasqueira uma costela gorda para comemorar. Mas nada disso seria tão bom se não tivesse aquele abraço. Ôôô terra boa de gente calorosa. No Rio Grande do Sul sabemos dar um forte abraço com tapas nas costas que esquenta até cusco arriado no frio da serra. Para completar, solta na vitrola uma das milhares de cantigas dos Fagundes, Teixeirinha e a gaita tradicional do Renato Borghetti. Ao entardecer a mulher sai com um carreteiro campeiro para reunir a gauchada. E se o guri quer se engraçar com a prenda mais nova, é melhor o piá saber assar uma carne, senão nem se apresenta.

Por último e não menos importante, somos bons e bonitos no futebol. Times campeões. Times selecionados. Times que jogam com uma torcida apaixonada e com um pôr do sol de 5 cores que agraciam nosso show. Aqui quem não sua e não sangra não tem vez. Aqui quem não comete falta e não grita pode fazer as malas. Aqui quem não chora e não pula não vai ao estádio. E aqui quem não reclama do juiz, não é daqui. Canela roxa, supercílio aberto, pé torcido são coisas comuns. Achamos isso bonito? Sim, nós achamos!

Se por um minuto ainda duvidava do apelido que nosso campeonato recebeu, agora não tenho mais. Pode ser que na minha ingenuidade tenha esquecido de citar mais algum motivo de sermos tão belos e elegantes. E nesta final de gauchão, iremos fazer o mais bonito dos clássicos. O mais glorioso das finais. O melhor Gre-Nal de todos. Neste domingo e também no próxims, sejamos charmosos. Sejamos gaúchos. Honremos o nosso Charmoso Gauchão.


Começou a temporada dos assados

19/01/2014

O campeonato dos gaúchos começou ontem e como tradição, o calor insuportável estava presente em campo. Os dias que abrigam o Gauchão são os mais quentes de todo o ano e não é de se surpreender que pessoas desmaiem durante o jogo.

Fritando ou não, o Inter venceu o seu primeiro jogo contra o São Luiz pelo placar de 2×0 com destaque para  Claudio Winck e para o atacante Aylon.

Hoje quem joga é o Grêmio contra o São José. E olha o que espera para os atletas:

clima 1

 

clima2

 

Passem protetor, minha gente!


Segunda de campeões pelo Brasil

06/05/2013

Olá

Bom dia!

Mais uma semana começando e eu morrendo de saudades de vocês! Veranico de maio parece (vamos aguardar o desenrolar do dia) estar acabando. E o que acaba por essas bandas é o campeonato gaúcho. Inter, campeão do turno e consequentemente campeão gaúcho. Para o jogo ontem, confesso que não achei um inter em sua melhor forma. Gabriel foi desarmado de forma muito inteligente pelo Juventude de Lisca… Pressão, pressão mesmo sé a partir dos minutos finais de jogo. Um impedimento de gol em tempo regular que divide opiniões para o lado do verdão da serra. E, pênaltis. Quando D’Alessandro – um bom batedor – não guardou o seu cheguei a pensar que o futuro colorado seria o mesmo do tricolor no gauchão.  Muriel reverte e ao fim tudo certo. Todos nós já sabemos o resultado.

Foto: Alexandre Lops - Internacional/Divulgação

Foto: Alexandre Lops – Internacional/Divulgação

Quero deixar registrado aqui minha admiração por um cara que gastou muita voz nesse campeonato, o seu primeiro como técnico de clube. Mas que a garra me motiva há muito já. Dunga. Muito do meu gosto por futebol está ligado a esse cara aí. Eu, um copo de coca-cola, um balde de pipoca, os vizinhos do 4º andar e o tetra de 94. Não lembro de futebol antes dele segurando aquela taça. Enfim, só para registrar até a foto escolhida na ilustração.

O mesmo inter sofre uma perda nessa final de campeonato: Damião. O jogador sentiu a coxa no confronto de domingo e deve fazer companhia à Dátolo no DM do Inter por pelo menos 15 dias. O próximo confronto do time de  Dunga em é 15 de maio contra o Santa Cruz pela Copa do Brasil.

Uma boa semana para todos e confiram os estados que já possuem campeões com os resultados do final de semana!

Botafogo 1 x 0 Fluminense –  BOTAFOGO campeão carioca e o kissuco fervendo pro lado do Abelão.

Cuiabá 2 x 1 Mixto – Cuiabá vence nos pênaltis por 3 a 2  – CUIABÁ campeão Mato grossense

Cene 4 x 0 Naviraiense  – CENE campeão Sul-Mato grossense


Começa a Taça Farroupilha

18/03/2013

Olá, olá! Hoje é segunda-feira, ressaca para uns, glória para outros, reestreia para times em volta de returno de campeonato. Lembrando que o Grêmio volta a entrar em campo pela Libertadores apenas na primeira semana de abril. Enquanto isso time titular na Taça Farroupilha.

E por falar em Grêmio quero salientar a importância da solidariedade no futebol. O atacante Hernán Barcos viajou para Santa Maria neste domingo com sua família para ver a menina Gabrieli Van Oudheusden Medeiros, de três anos, a ‘Piratinha’, e realizou o sonho da garota, que se recupera de leucemia no Hospital Universitário, em Santa Maria, interior do Rio Grande do Sul.

A piratinha consegue a visita do Pirata - Foto: Divulgação

A piratinha consegue a visita do Pirata – Foto: Divulgação

No sábado o Grêmio bateu o Lajeadense por 2 a 0 no primeiro jogo entre brasileiros na Arena. Zé Roberto – voando mais que muito moleque – foi o destaque da partida. O inter, por sua vez, bateu o Canoas por 3 a 1 no Estádio do Canoas.

Destaque dessa vez para Josimar que está conquistando seu espaço e após algumas assistências abriu o placar do domingo sendo assim uma boa opção para Dunga com o retorno de Willians marcada para as próximas semanas.
No mais, fique com o resumo dos placares da Taça que abre no final de semana:

 

Cruzeiro – POA 0 x 1 Passo Fundo

Caxias 3 x 2 Cerâmica

Grêmio 2 x 0 Lajeadense

Novo Hamburgo 0 x 1 Pelotas

Esportivo 1 x 2 Juventude

Canoas 1 x 3 Inter

Santa Cruz 0 x 2 Veranópolis

São Luiz 1 x 0 São José


Gauchão à parte: Uma crônica de meu pai

03/03/2013

Por ser filha única, cresci sendo a parceira do meu pai para o futebol de domingo (e sábado, e quarta). Cresci ouvindo-o falar da década de 70 e 80. De Inter, de grêmio. Do primo dele Luis Carlos Winck que foi revelado no Inter. Da seleção montada com o time colorado para ir para as Olímpiadas. Dunga estava lá. Aliás, vocês já viram fotos nos principais jornais do estado falando dessa união e reencontro.

Antes de muitos conhecerem quem era o Winck eu já sabia que havia sido brilhante na lateral direita. Que cresceu dentro dos campos. Que perdeu o pai – que também jogava futebol – cedo.  Aliás, o pai de Luis Carlos se chamava Cláudio. Cláudio Winck, o sobrinho, que na minha opinião ainda dará o que falar. No time de…Dunga.

Amigos, amigos, Gauchão a parte. Imagem: Arquivo Pessoal

Dunga a primeira figura do futebol que me lembro. Ele e Bebeto na Copa de 1994. Saí fazendo carreata no tetra. Inesquecível para qualquer criança. Por muito tempo, esqueci, no entanto, o primo Luis Carlos.

Até que, maior e motivada por outras histórias do meu pai reencontrei-o em 2012. Aimoré. Cresci ouvindo que o time da minha cidade havia jogado – um dia – a primeira divisão. Quando era mais nova pensava que era a do Brasileirão. Depois que entendi que falávamos de Gauchão passei a acompanhar o campeonato nos seus três níveis. Lá, encontrei o Esportivo e sua campanha que o transformou em Polenta Mecânica. Nele nomes colorados campeões do mundo pelo Inter em 2006. Ediglê, na semana passada foi quem marcou o último gol dos pênaltis que eliminaram o Lajeadense.

Time esse que passeou em cima do colorado. Que tinha melhor campanha no gauchão. Que foi eliminado invicto. Que consagrou a garra e superação do time de Bento Gonçalves.

Hoje, o Dunga que me lembro em 1994 e o primo Winck se reencontraram. Favoritismos? Pergunte ao Ediglê. Ele lhe contará de um tal de Barcelona. É evidente que o Inter vem postado para levar o turno. Já ensacou o tricolor. No entanto, é importante manter o salto raso. Afinal, Salto Alto só o nosso aqui do blog e além do mais, essa é uma situação que o capitão Dunga sabe contornar e comandar muito bem. Aliás, na parte técnica, Dunga deve manter a equipe que bateu o Grêmio no último domingo.

Um jogo interessante. Um reencontro que terei o prazer de acompanhar com vocês no minuto a minuto do nosso twitter.

PS.:O São Luiz está esperando o vencedor do confronto após bater o Caxias por 2×1 ontem.

PS.:Impossível não mencionar: Parabéns, mestre Zico.


%d blogueiros gostam disto: