Neymar e as redes sociais

27/05/2013

Confesso que bate saudades de falar de campeonato brasileiro nas segundas nesse período entre dezembro e maio. Mas agora estamos de volta com esse momento de revisar os bolões e traças estratégias e confabulações.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O nome do jogo não poderia ser outro: Robben. Sim, o cara que perdeu o pênalti diante do Chelsea na edição anterior. Sim! O cara que perdeu por cima três grandes chances de abrir o placar no sábado. Sim, um dos responsáveis pelo primeiro gol do jogo. Sim! O cara que aos 44 do segundo tempo e um gol belíssimo desengasgou, garantiu a vitória ao Bayern, foi eleito melhor em campo e chorou. Mas vamos lá, deixo aqui meu reconhecimento ao Borrusia que eliminou grandes times (eliminar Manchester City, Ajax, Shakhtar, Málaga e o Real Madrid) e jogou de igual para igual deixando até mesmo duvidoso para alguns o favoritismo do time de Robben.

Fazendo a ponte entre Europa e Brasil, esse foi um final de semana de despedida pelos lados de cá. Neymar, maior revelação dos últimos tempos do futebol brasileiro está de malas prontas para jogar com Lionel Messi. O jogo de domingo entre Santos e Flamengo foi o último do jogador pelo Peixe.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

“Não é um adeus, é apenas um até logo”.

A notícia em si todo mundo já sabe, o que eu salientaria é a interação do Neymar com as redes sociais. Nada de coletiva. O atacante é muito jovem para isso. “Minha família e meus amigos já sabem a minha decisão. Segunda-feira assino contrato com o Barcelona”, postou no Instagram.

Anúncios

Para seguir sonhando com o G4

05/10/2012

Seguindo com a rotina de desfalques, o Inter encara o Santos amanhã, às 16h20 na Vila Belmiro, atrás de pontos que são decisivos para as pretenções do clube nesta temporada. Com D’Alessandro novamente lesionado e fora da equipe pelos próximos 10 dias, Fernandão também não vai contar com Índio e nem com Bolívar, que poderia ser a opção na zaga, mas está com um problema na coxa.

Para fechar a cota de lesões, o time do departamento médico agora conta também com Leandro Damião. O atacante deve desfalcar o Inter por pelo menos uma semana, devido a uma entorse no tornozelo direito. Rafael Moura vem treinando no lugar de Damião e deve assumir a vaga no ataque colorado.

Fernandão define o time que enfrenta o Santos amanhã, às 16h20 – Foto: Alexandre Lops

A boa notícia fica por conta do retorno de Guiñazu, que estava servindo à seleção argentina. No lugar de D’ale, Fernandão optou por Dátolo para iniciar a partida. O meia ganhou a disputa com o garoto Lucas Lima e enfim terá sua tão esperada chance entre os titulares.

O Inter tem 41 pontos no campeonato, seis a menos do que o Vasco, que é o último time do G4. Para manter as chances de alcançar a vaga na Libertadores 2013, o Colorado precisa quebrar o tabu de nunca ter vencido na Vila.

Fernandão confirmou o time que enfrenta o Santos com: Muriel; Nei, Moledo, Jackson e Kleber; Ygor, Guiñazu, Fred e Dátolo; Forlán e Rafael Moura.


(Mais um) Empate amargo

01/10/2012
Foto: Ricardo Rímoli/LANCENET

Foto: Ricardo Rímoli/LANCENET

Grêmio não soube aproveitar a vantagem, e uma Vantagem com “V” maiúsculo, enfrentar por quase 45 minutos um Santos sem Neymar.

O técnico Luxemburgo pediu e a torcida atendeu, compareceu em peso nesse domingo, no Monumental. Grêmio contava com a pressão da torcida, e além disso, tinha também a pressão natural de todo time que enfrenta o Santos: como segurar Neymar?

O clima dentro de campo começou quente, o Grêmio querendo se aproximar do Atlético Mineiro que empatou na noite de sábado com a Portuguesa, o tricolor foi pra cima, com força total, Luxemburgo tinha novas opções, Gilberto Silva, Zé Roberto e Kleber foram liberados pelo Departamento Médico. Podendo contar também com Pará, que poderia chegar a não atuar por questões contratuais, mas atuou graças a um acerto entre as diretorias dos clubes.

O time gaúcho pressionava, aos 3 minutos já tinha chego a área santista duas vezes e aos 16 minutos, Moreno mandou uma bola perigosa no gol de Rafael, certamente o boliviano gostaria que a trave tivesse crescido naquele momento.

Os ânimos estavam à flor da pele, talvez a razão para tantos cartões, ao todo foram 9 amarelos e 2 vermelhos, e pasmem, até Vilson recebeu amarelo estando no banco.

A pressão gremista continuou e Santos pouco perigo trazia a Grohe, o time arrancou poucas vezes no primeiro tempo, e sempre com a dupla Neymar e André.

A prova da superioridade gremista se confirmou aos 33 minutos, quando ao cobrar a falta que Magrão fez em Kleber, Zé Roberto manda uma bola açucarada direto na cabeça de Werley, balançando a rede pra alegria da torcida tricolor.

Encerrado o primeiro tempo, Grêmio sabia que deveria voltar com a firme marcação do primeiro tempo, mesmo com a vantagem. E no retorno pro segundo tempo, o técnico Muricy resolve dar mais qualidade ao ataque santista, trocando Pato Rodriguez por Bernardo. Já o Grêmio retorna igual, e com o mesmo início aguerrido do primeiro tempo inicia a etapa final com clara objetividade, só a vitória interessava.

Aos 7 minutos do segundo tempo, Neymar é expulso por forte “pisão” em Pará, o jogador já estava caído. Com a vantagem e o Santos sem o seu principal jogador, se esperava, superioridade tricolor ou no mínimo a administração do resultado, era a lógica, certo? Não foi bem isso o que aconteceu.

Com a saída da joia santista, o time gaúcho passou a dar moleza na marcação e aos 12 minutos, graças a bobeira da zaga gremista, na cobrança de escanteio de Bernardo, Bruno Rodrigo balança as redes no Olímpico.

Aí em diante, o jogo passou a ser esse, a pressão gaúcha diminuiu e tomou alguns sustos do time santista, mesmo desfalcado. O Grêmio começa a errar os passes, o que não estava acontecendo quando Neymar estava em campo e quando chegava à área, não tinha qualidade pra finalizar e recuperar a vantagem. Pressionava, mas não finalizava com a maestria necessária para vencer.

E assim terminou, com (mais) um empate amargado pelo tricolor em pleno Olímpico. Com o resultado o tricolor gaúcho fica a 3 pontos do segundo colocado, com 50 pontos no campeonato e  na próxima rodada, ainda em casa, pega o fragilizado Cruzeiro, que acaba de empatar com o rival Internacional.

É isso aí, até a próxima!

Mayara Cardoso


Mudanças à vista?

15/07/2012

Poderia ser uma noite memorável para Mike, Lucas Lima e Otavinho, que, com o grande número de desfalques, foram incluídos no time principal do Internacional. Sofrendo do mesmo mal, o Santos chegou a Porto Alegre sem Rafael, Neymar e Ganso, que parece ter deixado a camisa 10 santista nas boas mãos de Felipe Anderson – embora não tenha feito uma partida como a de domingo passado contra o Grêmio.

Falta de entrosamento marcou o primeiro jogo de Miralles pelo Santos. (Edu Andrade)

No empate em 0 a 0, quem se saiu melhor foi o Santos, afinal, um pontinho conquistado nessas condições e jogando fora de casa não é nada mal. Para o Inter, apesar da ausência de jogadores fundamentais, o placar acusou grandes problemas. E aí, o torcedor mais otimista vai lembrar-se do acerto com o zagueiro Juan, ou da estreia do grande protagonista do futebol gaúcho de 2012, Forlán. Mas a grande verdade é que algo precisa mudar, começando pela a atitude de Fabrício e sua “ingenuidade” em levar cartões amarelos. Alguém aprovou?

Já na etapa complementar, o lateral-esquerdo Juan, do Santos, foi expulso por levar o segundo amarelo. Vantagem colorada? Na teoria. Mesmo com 10 em campo, a equipe de Muricy Ramalho dominou o jogo. Não fosse a entrada de Otavinho no lugar de Mike, aos 29 minutos, dando agilidade ao setor ofensivo do Inter, o Santos emplacaria um gol a qualquer momento.

Fora de campo, muito se falou sobre a presença de Dunga no camarote do Beira-Rio. Resta-nos saber se as providências começarão a ser tomadas…

O próximo jogo será contra o Atlético-MG, no Estádio Independência.

Inter: Muriel; Nei, Bolívar, Índio e Fabrício; Elton (João Paulo), Guiñazu, Lucas Lima, Mike (Otávio) e Jajá (Maurídes); Dagoberto.

Santos: Aranha; Bruno Peres, Bruno Rodrigo, Durval e Juan; Adriano, Arouca, Henrique e Felipe Anderson; Miralles (João Pedro)  e Dimba (Gérson Magrão)

Amarelos: Guiñazu, Dagoberto, Fabrício, Bolívar e Nei ; Juan, João Pedro e Gérson Magrão.
Vermelho: Juan.


A culpa é de quem?

08/07/2012

As vezes sobra para a arbitragem. Em outros tempo, o goleiro que era a sina. Mas e agora que Victor foi embora e o placar se desenha com 4 gols para o time adversário. Em quem devemos apontar?

Foto: Sérgio Barzaghi/Gazeta/ Divulgação

Luxemburgo arriscou bastante no jogo. Começou mandando o torcedor degustar um 3-6-1. Apenas Kleber no ataque fazendo dupla de “milagre” com Marco Antônio. Além de ficar difícil da bola chegar até os pés do Gladiador, a ligação de trás para o meio estava precária. Sem falar da péssima defesa azul que se apresentou em campo.

O primeiro tempo começou bem equilibrado para as duas equipes, mas como bem fala aquele ditado “quem não faz leva”, apenas o peixe de São Paulo conseguiu sair feliz daquela primeira atuação. Edu Dracena, o capitão do Santos fez o primeiro para eles. Um gol bobo e fácil pois enquanto tinha apenas 3 jogadores do Santos no ataque, 6 do Grêmio não pularam para defender aquilo que seria gol e foi. Ainda por cima, a gola passou entre as pernas de Marcelo. Ali já sentimos que aquele dia seria de muita cobrança.

Ainda com a equipe balançada, o peixe aproveitou o bom momento. Sem xurumelas, apresentou um golaço de Felipe Anderson deixando Marcelo Grohe sem reação alguma.

Se eu já não tivesse cantado a pedra na introdução, o leitor poderia pensar que parou por aí a bola na rede. Mas não. No maior clima de 2 vira e 4 ganha, assim se ensaiou o resultado.

Chegou o segundo tempo e com ele Neymar e sua cabeça goleadora (mesmo não sendo o jogador mais alto do Santos). Mesmo com um clima de “já ganhou” o 4º gol chegou numa azarada saída de Marcelo Grohe que deixou, novamente, Felipe Anderson com a entrada facilitada.

Foto: Sérgio Barzaghi/Gazeta/ Divulgação

O de honra do Grêmio chegou sim, gente. Vilson descontou e deixou menos feio a goleada que levou fora de casa. O Santos teve a primeira vitória no campeonato. Enquanto o Grêmio cai na tabela se distanciando da zona da Libertadores.

A oitava rodada do brasileiro então terminou assim para o Tricolor. Será que depois dessa o Elano vem mesmo como moeda de troca por Miralles? Aguardemos!


Mais sorte do que juízo

19/04/2012

Colorado deve ter uma coleção de trevos de quatro folhas.

O Inter poderia até perder no jogo de hoje, contra o Juan Aurich, do Peru, que estaria classificado. Desde que o The Strongest não vencesse o Santos. E o que aconteceu? O colorado perdeu. Jogou de maneira apática e não levou perigo ao time peruano, que já estava eliminado da competição. Em um erro de Bolivar, Luis Tejada abre o placar. E torna dramática a classificação colorada.

Enquanto o colorado perdia, o jogo na Vila Belmiro entre Santos e The Strongest estava 0 a 0. O time boliviano podia fazer um gol e se classificar, mandando o Inter mais cedo pra casa. Só que a equipe santista estava “amorcegando“ o jogo, como se quisesse eliminar o Internacional. Claro, um adversário muito forte para as próximas etapas.

Foto: AP

Quando o jogo do Inter já estava aos 45 minutos do segundo tempo, o colorado perdia e o Santos empatava, o espiritismo entrou em ação. Alan Kardec abriu o placar para a equipe da Vila. Ufa! O colorado podia respirar aliviado. Apesar de ser o pior segundo colocado e pegar o Fluminense (de Rafael Sóbis, Edinho e Abel Braga) na próxima fase, além de fazer todas as decisões fora de casa, estava classificado. Aí Neymar ainda ampliou o placar e eliminou o The Strongest.

O Inter contou muito mais com a sorte do que teve juízo de se empenhar no jogo do Peru. Mas, como diz o dito popular, “os últimos serão os primeiros“, não é, colorados?

INTER: Muriel; Nei, Bolívar, Índio e Kleber; Sandro Silva, Tinga (João Paulo), Dátolo (Jô) e D’Alessandro; Gilberto (Jajá) e Leandro Damião. Técnico: Dorival Júnior

JUAN AURICH: Penny; Guadalupe, Minaya, Fleitas, Quina; Rojas, Molina (Valencia), Cueto, Chiroque; Zuriga (Kahn) e Tejada. Técnico: Diego Umaña


Jogo decidido com as mãos

05/04/2012

UFA! O jogo entre Santos e Inter nesta noite foi de tirar o fôlego. O Inter precisava vencer para depender só dele mesmo para a classificação, e tinha o peixe engasgado na garganta. Nei abriu o placar, de falta. Aliás, o lateral colorado fez um jogo e tanto, entrando sempre pelos flancos. Depois, já no segundo tempo, Alan Kardec entrou e empatou a partida.

Agora, quem merece o grande destaque deste jogo não são os pés dos jogadores, e sim as mãos. Mãos de Muriel e de Rafael, goleiros de Inter e Santos defenderam grandes jogadas. Neymar, como sempre, chegou inúmeras vezes no ataque, serviu os companheiros, mas sempre encontrou a muralha Muriel, que espalmou, agarrou, soqueou a bola e evitou que ela entrasse. Do outro lado, Dátolo, Damião, Jajá e o próprio Nei, autor do gol, chegavam ao gol. E se deparavam com outra muralha. Rafael mandou para escanteio, devolveu para os companheiros, segurou com convicção.

Foto: Uol Esporte

O resultado não foi bom para o colorado. Tendo perdido para o Santos na Vila, empatado com o The Strongest fora e vencido o Juan Aurich, o colorado soma 8 pontos. O Santos tem 10. Se amanhã o The Strongest vencer o Juan Aurich, vai a 10 pontos. Na última rodada, Santos enfrenta The Strongest e o Inter dependerá deste resultado para estar classificado. Claro que tudo depende de como será o resultado do jogo de amanhã, mas ficou mais perigoso. De qualquer forma, foi um grande jogo no Beira-Rio, na data do aniversário do colorado.

Internacional: Muriel; Nei, Rodrigo Moledo, Índio e Kléber; Sandro Silva, Elton, Tinga (Gilberto) e Dátolo (Bolívar); Dagoberto (Jajá) e Damião. Técnico: Dorival Júnior.

Santos: Rafael; Fucile (Alan Kardec), Edu Dracena, Durval e Juan; Arouca, Henrique, Ibson e Ganso; Neymar e Borges (Elano). Técnico: Muricy Ramalho.


%d blogueiros gostam disto: