Entre definições e indefinições

24/11/2012

Foi uma semana agitada futebolisticamente. Tivemos novidades em termos de Grêmio, Inter e até Seleção Brasileira. Essa última questão, inclusive, pode refletir diretamente no andamento das negociações da dupla Grenal.

 

Com a queda de Mano Menezes, o Internacional vislumbra novas possibilidades. Se os rumores sobre o novo técnico colorado antes giravam em torno de Dunga, agora Mano surge como um nome forte. É grande o interesse em sua vinda para o estádio Beira-Rio e, certamente, contatos serão feitos em breve. Dunga volta a ficar em segundo plano, neste caso.

 

Além do Inter, a Seleção também está em busca de um comandante. Os nomes que surgem como mais prováveis são Felipão, Muricy Ramalho e Tite. Caso Felipão seja confirmado, o Grêmio corre um sério risco de perder seu preparador físico, Paulo Paixão, que é parceiro de longa data do treinador. E, na verdade, o Grêmio já corre esse risco de qualquer forma, pois o Inter está disposto a contratar Paixão para formar a equipe técnica da próxima temporada.

Por enquanto, muitas especulações. De certo, apenas o acerto gremista com o Luxemburgo, que fica mais dois anos por aqui. Os pensamentos já estão voltados para 2013, restam apenas duas rodadas do campeonato brasileiro, mas só a última poderá trazer um pouco de emoção aqui para o sul. O Grenal, que será o último jogo oficial disputado no estádio Olímpico, pode ser um belo encerramento para o bom ano do Grêmio ou servir de consolo para o Inter, que vencendo o rival poderá ao menos terminar o ano de forma digna e dando uma última alegria para a torcida colorada, que ficou carente disso em 2012. Aguardaremos!


BYE, BYE, BROTHER!

23/11/2012

Mano Menezes não é mais o técnico da Seleção Brasileira!

Mano Menezes ficou dois anos e três meses comandando a Seleção Brasileira.

A informação é de agorinha e veio através do repórter Leandro Quesada, da Rádio Bandeirantes de São Paulo.

Ao longo da tarde de hoje, na sede da Federação Paulista de Futebol, a cúpula da CBF esteve reunida para decidir o futuro da Seleção.

Mesmo com o Bi Campeonato do Super Clássico das Américas recém conquistado, a entidade optou por não seguir com o gaúcho no comando.

Estão surpresos? Eu estou.

Justo quando o técnico Mano Menezes parecia estar achando o “time ideal”, dando cara para a nossa amarelinha, a CBF me apronta essa.

Não que eu julgue uma escolha errada, mas é que não esperava essa demissão por agora.

Esperava, sei lá, vê-lo ser demitido depois da perda do título da Olímpiada – onde o Brasil foi derrotado pelo México. Talvez, até mesmo, depois de perder o amistoso contra a Argentina por 4 a 3, ou quando perdeu pra Alemanha, também em amistoso, por 3 a 2, mas não agora.

Ninguém esperava, pelo menos não aqui por Porto Alegre. Não hoje. Não nessa sexta-feira cinzenta e abafada. Até porque, o Brasil acabou de conquistar um título. Não foi dos melhores, nem dos maiores. Não foi com um futebol-arte, daqueles de dar gosto de ver, mas foi um título, uma taça erguida sobre a nossa maior adversária: a Argentina.

Enfim, Mano está fora e a CBF deve anunciar o próximo técnico em janeiro de 2013, ano em que disputaremos a Copa das Confederações.

Quem será que vem por aí? Felipão? Tite depois do Mundial?

 

Ãn, ãn?!

Confira abaixo os jogos de Mano, na Seleção.

Jogos da Seleção com Mano no comando.


Seleção relembra Kaká mas esquece Ronaldinho

11/10/2012

Em todas as declarações diante dos jornalistas e demais cameras, Mano Menezes mantém o seu discurso ponderado, mas deixa claro que Ronaldinho Gaúcho não tem mais vez na canarinho. Foi assim na coletiva à imprensa estrangeira de ontem, na Suécia, quando disse que falar no meia-atacante do Atlético-MG era “andar em círculo”.

O técnico acredita que Ronaldinho prefere contar carneirinhos do que treinar. Seu foco não está 100% nos treinos e que sua cabeça só pensa em baladas. Além disso, o meia-atacante peca por não esboçar reação dentro de campo quando é elogiado ou criticado, segundo o comandante do time nacional.

Mano já tentou mexer com os fracos sentimentos do jogador das duas formas. Em 2010, quando foi convocado pela primeira fez pelo técnico, Ronaldinho ganhou a braçadeira de capitão e elogios. Após a derrota para a Argentina por 1 a 0, no amistoso disputado no Qatar, o Gaúcho deixou de ser chamado.

Depois do castiguinho de quase um ano, Ronaldinho voltou a entrar na lista de Mano Menezes para o amistoso contra Gana e os dois jogos da primeira edição do Superclássico das Américas.

Todas as fofocas que rodearam a vida do R10 deixaram o ex-craque com desgosto dos atuais técnicos brasileiros. As baladas, problemas no Flamengo, disque-dentuço e dispensa dos vizinhos de condomínio mancharam a imagem de Ronaldo. Diferente de Kaká. Mano Menezes parece disposto a dar ao bom moço o posto de líder da seleção brasileira, mesmo que essa seja a primeira convocação do meia em sua gestão. Em entrevista ao jornal espanhol Marca, ele minimizou os problemas do brasileiro no Real Madrid e disse que ele não precisa ser titular para ser lembrado na equipe verde-amarela.


Quem da dupla vai para as Olimpíadas

14/03/2012

Acabou de sair a pré lista dos jogadores que poderão ir a Londres disputar as Olimpíadas pelo nosso país. Não impressionadas ficamos quando vimos o nome de Ronaldinho Gaúcho como escrito no papel de Mano mesmo o atleta estando em crise no Flamengo. Nos destaques ausentes dos daqui, reparamos na falta de Mário Fernandes que ano passado pediu dispensa da convocação para a Seleção.

As Olimpíadas possuem uma regra diferente de outras competições da seleção principal. Apenas 3 jogadores podem tem mais de 23 anos. Nesta pré lista que possui 52 nomes, 16 jogadores citados são maiores da idade limite permitida.

Vamos aos nomes:

Adriano (Barcelona)
Alex Sandro (Porto)
Alexandre Pato (Milan)
Allan (Vasco)
André (Atlético Mineiro)
Bernard (Atlético Mineiro)
Bruno Uvini ( Tottenham)
Daniel Alves (Barcelona)
Danilo (Porto)
David Luiz (Chelsea)
Dedé (Vasco)
Diego Alves (Valencia)
Douglas Costa (Shaktar Donetsk)
Dudu (Dínamo de Kiev)
Elias (Sporting)
Elkeson (Botafogo)
Fagner (Vasco)
Fernandinho (Shaktar Donetsk)
Fernando (Grêmio)
Gabriel (Cruzeiro)
Gabriel Silva (Novara)
Galhardo (Flamengo)
Paulo Henrique Ganso (Santos)
Giuliano (Dnipro)
Henrique (Granada)
Hernanes (Lazio)
Hulk (Porto)
Jefferson (Botafogo)
Jonas (Valencia)
Juan (Internazionale)
Julio Cesar (Internazionale)
Leandro Damião (Internacional)
Lucas (São Paulo)
Lucas Mendes (Coritiba)
Luisão (Benfica)
Marcelo (Real Madrid)
Marquinhos (Corinthians)
Neto (Fiorentina)
Neymar (Santos)
Oscar (Internacional)
Philippe Coutinho (Espanyol)
Rafael (Manchester United)
Rafael Cabral (Santos)
Renan Ribeiro (Atlético Mineiro)
Romário (Internacional)
Rômulo (Vasco)
Ronaldinho Gaúcho (Flamengo)
Sandro (Tottenham)
Thiago Silva (Milan)
Wellington Nem (Fluminense)
Willian José (São Paulo)

E nós seguimos na torcida para que Fernando, Damião, Oscar e Romário sigam firmes e fortes na lista até o dia do anúncio oficial marcado para 6 de Julho. Apenas 18 jogadores irão  para a Inglaterra.


Não basta vencer…. Tem que CONVENCER!

29/02/2012

Tarefa cada vez mais árdua para Mano Menezes e sua inconstante Seleção Brasileira. A vitória aconteceu. Simples como o verbo.. Aconteceu. Não porque a equipe mereceu que acontecesse, mas simplesmente porque o destino quis que a bola chutada por Huck na entrada da pequena área, nos últimos minutos que restavam para fechar 90 minutos, desviasse na canela desavisada do jogador bósnio para dentro do gol. 2 a 1. E nada a celebrar.

Mano Menezes: criticado e cada vez mais a perigo (foto: Cezar Loureiro – O Globo)

Longe de desmerecer a seleção da Bósnia-Herzegovina que, tirando o fato de ser praticamente uma estreante no futebol mundial, mostrou pelo menos em campo vontade e competência para marcar bem a ofensiva quase ineficaz brasileira e sufocar em vários momentos a defesa. Até porque nomes como Dzeko, Ibisevic e o capitão Spahic figuram em times como Manchester City, Stuttgart e Sevilla, respectivamente. Pouca coisa não são.

Fato é que a seleção montada por Mano, praticamente diferente a cada jogo, mostra a dificuldade do treinador em definir uma equipe minimamente entrosada, e dos próprios jogadores que não conseguem render como em seus times de atuação. Fala-se em escalação defasada, em nomes erroneamente superstimados, fala-se também que o Mano de tanto testar se perdeu.

O que eu vi do jogo foram impressões bem pontuais e amargas, eu sei, rsss. Muitos entendidos da área discursaram que apesar de tudo, temos uma defesa pronta, praticamente irretocável. Bom, eu vi uma defesa cometendo erros primários e subestimando o adversário. A começar por Júlio César, que já mostrou que a renovação deve começar pelo goleiro. No meio, como todos, vi um Ronaldinho desinteressado, a escalação de um Fernandinho que ninguém entende o porquê e um Hernanes sem criatividade. Neymar e Damião pouco foram acionados e quando eram, pecavam pelo excesso de preciosismo. Não consigo ver o mesmo Daniel Alves do Barcelona na Seleção. Choraram pela parceria de Ganso com Neymar, coisa que pelo visto só funciona no Santos. Marcelo era o único sopro de bom futebol que exalava do time, responsável pelo gol e por todas as outras jogadas interessantes, que não eram muitas, mas que só aconteciam pelo lado esquerdo. Mesmo assim, foi preterido na eleição de melhor do jogo, pelo sempre lembrado (mesmo que não jogue nada) Neymar, que como disse Galvão milhares de vezes, é a ‘estrela maior da Seleção’.

O único que merece destaque: lateral-esquerdo Marcelo (foto: Reuters)

Aliás, falando em Galvão e cia, por diversas vezes o narrador juntamente de seus colegas de transmissão repetiram a ‘sugestão’ de trazer de volta à equipe os veteranos Robinho (novidade, Galvão querer Robinho) e Kaká, justamente por estarem em boa fase em seus times europeus. Robinho que nunca me convenceu na Seleção e nas palavras deles, finalmente está aprendendo a jogar na Europa (depois de quanto tempo?!) e Kaká, que depois de muitas lesões e pouco futebol, parece esboçar uma volta aos bons tempos. A exemplo de Ronaldinho, sinceramente não vejo o que ambos possam acrescentar, quem dirá modificar na atual conjuntura da Seleção.

Seleção que se prepara para tentar se superar nas Olimpíadas deste ano e derrubar esse tabu enigmático de nunca conseguir ter sucesso na competição, tendo um grupo que essencialmente precisa ser jovem. Não só pelo limite de idade imposto, mas evidentemente porque tá mais do que na hora que essa renovação seja uma realidade, afinal de contas, até quando vamos ter que precisar dos mesmos jogadores para resolver o que nunca conseguiram resolver até então?

Chega de mesmice e de se contentar em ganhar amistosos, alguns deles vexatórios. Futebol brasileiro precisa se reiventar. Esse discurso de que o futebol brasileiro é o melhor do mundo porque é pentacampeão, porque temos o melhor jogador de todos os tempos, que aliás tem mais de 70 anos, de ter saudades da Seleção do futebol arte de 1982 (que ganhou nada que valha), afff, já deu o que tinha que dar, né.

É esse estigma que vem estragando o nosso futebol. Deixamos de ser os melhores faz muiiiito tempo. Tá na hora de correr atrás do prejuízo, e principalmente, correr atrás da bola e mais que vencer, convencer de que bom futebol se faz em campo, de preferência com títulos.

BRASIL (2): Júlio César; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Sandro (Elias) e Fernandinho; Hernanes (Hulk), Ronaldinho (Paulo Henrique Ganso) e Neymar (Jonas); Leandro Damião (Lucas) Treinador: Mano Menezes

BÓSNIA-HERZEGOVINA (1): Begovic; Papac, Spahic, Pandza e Rahimic; Jahic, Medunjanin (Zahirovic), Misimovic (Ibricic) e Pjanic (Darko Maletic); Ibisevic (Salihovic) e Dzeko Treinador: Safet Susic

Fonte: Terra Esportes


Mário Fernandes quer nova chance na Seleção

09/01/2012

Meses após dizer não à Seleção Brasileira, o lateral-direito do Grêmio, Mário Fernandes, concedeu uma rápida entrevista coletiva, hoje pela manhã, em Bento Gonçalves. Mário foi bastante contido, disse que não iria falar sobre a Seleção, segundo ele, está focado no Grêmio.

(Foto: Agência Estado)
(Foto: Agência Estado)

Questionado sobre as Olimpíadas em Londres, o lateral afirmou que gostaria de ser convocado e espera receber mais uma chance com a amarelinha.

Mário Fernandes ainda falou que pretende pedir desculpas, pessoalmente, a Mano Menezes sobre o episódio ocorrido em setembro do ano passado.

Confesso que as vezes não consigo entender o que se passa na cabeça desse rapaz. Não sei se é a timidez ou seu jeito constrangido de ser. Além de dizer não à Seleção Brasileira, Mário Fernandes não foi receber o prêmio de melhor lateral-direito do Campeonato Brasileiro 2011, da revista Placar. Parece não ter ambição na carreira, parece jogar futebol por hobby.

Torço para que receba novas oportunidades e, principalmente, que não as jogue no lixo, pois é um excelente jogador dentro das quatro linhas.


Inter x Seleção

04/10/2011

Não, o colorado não entrará para o roll de equipes que enfrentarão a Seleção Brasileira. O confronto entre os dois se dá pela disputa pelos mesmos craques: Oscar e Damião.

O primeiro, atuando intercaladamente pelas duas equipes, já demonstra seu cansaço quando entra em campo e virou motivo de birra por parte do técnico Dorival que esbravejou após derrota contra o Atlético-PR:

– É injusto com os melhores jogadores. Não só com o Oscar. No momento em que o clube teria uma semana para treinamentos ou descanso, acaba o cedendo para a Seleção. O calendário de Seleção tinha que ser melhor pensado.

O segundo, lesionado, não defenderá nenhum dos dois times, mas é o nítido reflexo de que defender clube e seleção ‘ao mesmo tempo’ é desgastante, pode causar lesão e aí sim, passar de solução, a problemão de dois técnicos.

Jogador bom sofre...

Eu fico do lado de Dorival. Em meio a uma reta final de campeonato brasileiro, onde cada ponto é importantíssimo, perder jogadores para amistosos da Seleção não é o que se chama de planejamento, e sim de bagunça e injustiça com os clubes que mantém jogadores convocados (logo, atletas destaques).

E está aí um confronto NADA amistoso.

Fonte: ClicRBS


%d blogueiros gostam disto: