Ainda vivemos na era dos dinossauros

28/04/2014

Era da tecnologia, país em desenvolvimento, internet sem fio em todos os lugares, educação multimídia e mesmo assim ainda lemos nos jornais notícias que relatam casos de racismo. Casos esses que são sofridos no meio de competições esportivas. Não, nós não vivemos no século XXI.

racismo

Não é de imaginar que um dia não ficaremos mais impressionados com tamanho desrespeito que nosso povo ainda sofre. Podemos sim sonhar com um mundo que não precise mais fazer campanha na internet, pois termos que ainda falar sobre isso é o fim de tudo. É o fim olharmos com desdém para o próximo. É o fim acharmos que a cor da pele vai definir quem você é ou não. É o fim sermos feridos com palavras rudes, gestos feios e mímicas sem educação. É o fim termos que nos unir por algo que não deve ser a nossa luta, que não deve ser nada. Pois o branco, amarelo e preto é apenas uma cor. E só.Me admira o esporte ainda acolher atitudes tão irracionais quanto essa, pois por mais que nos chamem de macacos, ainda somos racionais. Somos humanos.

Até quando teremos que nos conformar com tamanha imbecilidade de alguns. É inimaginável no esporte, onde a união das cores é o que deixa mais bonito os eventos, assistirmos alguém tocar um objeto que remeta à racismo. É incompreensível no futebol, onde a maioria dos jogadores são negros, um atleta ter que esconder do filho os episódios horríveis que passou por causa de sua pele. Porém, ficamos felizes quando um desses homens, que orgulha-se de sua raça, virar a costas para os agressores, pegar uma banana que foi tocada e aí sim, comer. Afinal, parece que ninguém está morrendo de fome no planeta, não é mesmo?

No Brasil cerca de 30% da população se considera negra ou parda. No mundo, temos diversas cores que formam as raças da população. Porém, uma pesquisa mostra que a chance de um jovem negro ser morto é 130% a mais que um jovem branco. E ninguém da bola para isso? Não! Você atravessa a rua a noite se vê um homem afro caminhar contra a sua direção. Nos bancos os olhares desconfiados sempre ficam em cima daquele que não tem a mesma cor que você. E você ainda acha que isso não é racismo. Será?

Também estou adepta, por mais que esse assunto já deveria ter sido extinto de tudo, à campanha #SomosTodosMacacos. Termino meu texto hoje citando a frase de um homem que sofreu por sua cor, foi aplaudido por sua cor, fez história com a sua cor e será eterno por sua cor. “Sonho com o dia em que todos levantarão e compreenderão que foram feitos para viverem como irmãos.” (Nelson Mandela)

#SomosTodosMacacos

#SomosTodosMacacos


Taiti neles!

17/06/2013
Imagem: divulgação

Imagem: divulgação

Já faz mais de um mês que assisti uma reportagem sobre a seleção do Taiti que me deixou emocionada. Emocionada por ver que mesmo após trabalhar durante o dia, não tem ruim para treinar. Os jogadores do Taiti – como todo mundo já sabe – são pedreiros, motoristas, alpinistas, carregadores…E, mesmo assim não tem cansaço para treinar o quanto for necessário não. Um time em um paraíso que sequer valoriza o esforço dos treinos, o esforço de ter conquistado o direito de ir à Copa das Confedereções. E, garanto que mesmo no anonimato eles não fazem corpo mole em vestiário.

Uma seleção que parece que está na Disneylandia. Todos falam que eles não são profissionais, eles nem dão bola. Todos falam que vão levar um saco da Espanha. Enquanto isso eles se deslumbram com a magnifitude dos estádios, choram pela chance de entrar no Maraca, e nutrem o modesto sonho de marcar UM GOL na competição. É irreal no ambiente futebolístico em que vivemos? Com certeza. Mas é bonito sabe? Me emocionei ao conhecer história desses homens e lamento não poder assistir ao jogo contra a Nigéria.

Acho que tem muita gente que deveria de espelhar na garra da seleção do Taiti. Se eu pudesse esquecer tudo e torcer de forma incoerente nessa Copa das Confederações seria por eles. Mas, como coerencia e futebol nem sempre combinam, para cima deles Taiti! Façam bonito, realizem seus sonhos, voltem para casa com fotos de seus ídolos e histórias o suficiente para contar para os netos.

 


Proust!

25/05/2013
Divulgação

Divulgação

Para os amantes do mundo da bola hoje é praticamente uma quermesse. Mais cedo da tarde temos final na Champions. Apesar de o jogo ser em Londres, uma final que justifica o termo quermesse usado ali em cima: A Alemanha sambou na cara de todo mundo e vai marcar presença com Dortmund e Bayern de Munique.  O  Dortmund é o “azarão” da competição, ninguém contava que passaria da semi, muitos alias já contavam com a eliminação até antes disso… Mas quem tem Lawandowski na frente não se acovarda. O Bayern por sua vez já esperava por esse momento desde o ano passado, quando a final foi disputada em sua casa. Em minha opinião um dos times mais completos da Europa. Não, eles não têm Messi.  Mas sim, eles têm unidade. Resultado? Prefiro não comentar, pegar minha poltrona e assistir esse que vai ser um jogão. Proust!

leiajaimagens_id_16070

Divulgação

Mais tarde temos ainda o início do campeonato brasileiro e o Inter está na Bahia onde pega o Vitória. Sem Leandro Damião, de Muriel – que será poupado, pois teve o aval para jogar mesmo após a expulsão no Grenal do ano passado, e Fabrício – volta Kleber, Dunga deve apostar em uma das suas maiores armas para vencer esse campeonato (após 34 anos de seca no Brasileirão): regularidade. O time do inter vem sendo escalado de forma uniforme, o que gera um entrosamento que tinha sido perdido na temporada anterior. Se segurar a peteca, vai incomodar na ponta de cima. Afinal de contas, todos nós sabemos que após a troca do sistema do campeonato brasileiro, muitas vezes a regularidade nos pontos vale mais do que um grande plantel desorganizado.

O inter de dunga deve ser: Agenor; Gabriel, Rodrigo Moledo, Juan e Kleber; Airton, Willians, Fred e D’Alessandro; Diego Forlán e Rafael Moura.

Aguardaremos.

Final de semana corrido. Muitas emoções. E a Copa das confederações nem chegou ainda! No domingo nada de “curar a ressaca da quermesse”, afinal é dia de Grêmio.

E nós estamos de olho!


A senhora corneta

21/05/2013

Já viram essa imagem que agitou as redes sociais na noite de ontem??

 

182921_580085392023722_1503103077_n

Um torcedor gremista deu de presente as camisetas do Grêmio ao KIDIABA e ao KAMANGU e fotografou esse momento, no mínimo, engraçado.


Contagem regressiva

20/05/2013

Não sei vocês, mas eu estou contando os dias para ver a Seleção Brasileira em campo na disputa da Copa das Confederações. Estou ansiosa para ver com os meus próprios olhos e em tempo real a atuação dos convocados pelo Felipão e, não só isso, para ver como se dará todo o processo de recepção dos turistas, dos torcedores que irão acompanhar as partidas da competição. Estou torcendo para que não dê nada errado, que façamos bonito nessa que é uma prévia para o tão esperado Mundial de 2014, no entanto estou com um baita pé atrás. Não quero ver a seleção canarinho fazendo feio dentro das quatro linhas, tampouco fora delas.

Acredito, sim, que a Copa das Confederações seja uma espécie de teste para a competição principal do ano seguinte, acredito também que os erros sejam entendidos, compreendidos, mas, principalmente, ajustados. Na questão estrutural, de logística, mobilidade, o Brasil pode penar agora no meio do ano, só não pode ver os erros e não fazer nada para que melhoremos para 2014. E isso também acontece em campo: acho que não levaremos essa taça, mas a frustração não pode tomar conta da torcida, bem como da delegação. Nossa seleção passou por um período de transições nos últimos quatro anos. Troca de técnico no meio do caminho, queda de rendimento de grandes nomes, surgimento de novas esperanças de bom futebol… Bem ou mal é agora que o time para o ano que vem está sendo montado, esse é o teste principal e, como todo teste, perigamos bailar, fazer feio, decepcionar, mas sem fazer terra arrasada e pensar em reformulação pro mundial, longe disso!

tatu-da-copa

Bom, vamos ao que interessa pra hoje! A CBF, entidade máxima do futebol brasileiro, adiou hoje pela manhã a apresentação da Seleção para o período da Copa das Confederações. A data que seria dia 27, foi alterada pro dia 28 às 19h e o grupo de jogadores se apresenta à comissão técnica no Rio de Janeiro. A mudança, de acordo com com nota publicada, aconteceu porque todos os jogadores que atuam na Europa só teriam condições de chegar ao Brasil no início do dia 28, em função do calendário dos seus clubes.

Mesmo com a alteração, nem todos os jogadores se apresentarão juntos. Fred, Cavalieri e Jean, do Flu, Revér e Bernard, do Galo, se juntam ao grupo apenas no dia 30, já que têm pela frente a disputa das quartas-de-final da Libertadores da América.

 


Sonho adiado. Bola ao centro, o jogo continua!

17/05/2013

Quatro brasileiros já caíram fora da Libertadores da América de 2013: um em crise, o atual campeão, um rebaixado e um cheio de projetos. Bom, sobre a desclassificação do Grêmio, achei justa. Não gostei nada, nada do tricolor de ontem. Foi um time medíocre, com uma postura medrosa e uma retranca bizarra. Jogou fora mais um título! A atuação contra o Santa Fé me lembrou muito a do jogo contra o Milionários, ano passado, onde o Grêmio deu bye-bye para a Sul-Americana. O time não atacava, jogando com o regulamento embaixo do braço, esperando pelo adversário.

 

Desde que me conheço por gente, ouço falar que o Grêmio é time guerreiro, time da virada na base da raça, da superação. Ontem, mesmo cansada por causa do futebol das meninas, morta de sono e louca pra dormir e fugir mais ainda do frio, fiquei parada na frente da TV e com o ouvido atento à narração do Orestes de Andrade, na Guaíba. Faltava pouco mais de quinze minutos para o fim do jogo e o Luxemburgo (na verdade, o Roger) fez duas alterações: Fernando por Marco Antonio e Barcos por Wellinton. O Fernando, tá certo, não jogou nada ontem (assim como quase todo time) e tinha mesmo que sair. Mas, tchê, o Barcos? Um time que precisa buscar o resultado, precisa fazer gol, tira o centroavante? Tira aquele cara que, num lance ou outro, pode matar o jogo em uma bola lançada na pequena área? Ele não era o cara para sair do jogo, não naquele momento da partida. Fiquei esperando a tal reação que tanto caracteriza o Grêmio, que não apareceu.

 

O presidente Fábio Koff, além de sua maravilhosa história no clube, se elegeu com uma campanha baseada praticamente na “promessa” da conquista do TRI da América. Gastou mundos e fundos pra isso, apostou, investiu, pediu para que o torcedor também acreditasse nessa possibilidade. Acreditar, acima de tudo, naquilo que, a cada jogo, os olhos não mostravam: um time pronto para erguer essa taça pela terceira vez na história do Grêmio. O “pojeto” não poderia falhar, mas em campo o time não soube dar sequência ao que no papel parecia, no mínimo, viável e aí com uma campanha bem média caiu fora da competição prematuramente. PREMATURAMENTE. Será? Agora eu pergunto: tirando o jogo contra o Fluminense no Engenhão e o jogo contra o Caracas na Arena, quais os outros jogos convincentes do tricolor na Libertadores? Aqueles de dar confiança pro torcedor? O time foi simplesmente a segunda pior campanha da primeira fase! Muito, muito abaixo do esperado, só não perdeu para o São Paulo, que foi o pior dos segundos colocados. But… quantas vezes já vimos um ou outro time acabar campeão, mesmo depois de uma fase de grupos fraca? Eu, pelo menos, já vi. Poderia ser o caso do Grêmio, não? Poderia. Oitavas-de-final, Santa Fé pela frente. Conhecem? Santa Fé, da Colômbia. Veste vermelho e branco. Nenhum título de expressão na história. Joga na altitude. Apresentei bem? Bom, vamos lá: por uma preparação melhor, a delegação foi uma semana antes para Bogotá, afinal de contas jogar na altitude nunca é fácil e se pudessem diminuir os risco dela, que assim o fizessem. Não adiantou, o atacante MEDINA, de fato, como havia prometido, COMEU, não o Grêmio, mas o sonho dos tricolores de conquistar o TRI já em 2013. Pela frente, não fosse o gol dele, o Grêmio teria a Asociación Civil Real Atlético Garcilaso. Time peruano, fundado há menos de cinco anos. Teriocamente um bom adversário para avançar das quartas às semis sem muita dificuldade. Teriocamente, mais uma “baba”. MAIS UMA? Não. Santa Fé não só não foi uma “babinha”, como fez o crime jogando ao lado da sua torcida.

 

É uma pena, mas o “pojeto” foi-se e não dá muito para o torcedor ficar lamentando. O Grêmio já tem o Brasileirão na sequência! E se projeto é a palavra mais usada na “era Luxa”, que ela continue valendo. Trocar de técnico não é a solução! Até porque, sei lá, eu acho que o torcedor que gritou “FICA, LUXEMBURGO”, no final do ano passado, não estava comemorando apenas uma vaga, mas sim a ideia concreta de um projeto a médio, longo, longuíssimo prazo. E digo mais: se as opções são mesmo Mano, Roth e Renato, acho que o Luxemburgo tem que seguir comandando o time ao menos mais uma temporada. Até porque, desculpem-me quem idolatra cegamente o Renato, mas ele poderia ser contratado como motivador, não como treinador de clube.


Os reis da cocada-preta.

04/09/2012

Que o mundo do futebol lida com muito dinheiro, isso não é mistério pra ninguém. Embora nem sempre tenhamos conhecimento sobre as cifras dos negócios do mundo da bola,  é fato que a quantia das transações e das remunerações não são nada pequenas. Agora o jornal Marca, da Espanha, divulgou uma relação dos jogadores mais bem pagos na esfera mundial.

Sabem o melhor do mundo? De acordo com o impresso, o baixinho Lionel Messi, apesar do título, não está sequer entre os três de mais alta remuneração. Já o argentino Conca, fez bem – pelo menos nesse quesito – em trocar o Fluminense pelo futebol chinês.

1º Eto’o – R$ 51,2 milhões
2º Ibrahimovic – R$ 37,1 milhões
3º Rooney – R$ 35,3 milhões
4º Yaya Touré – R$ 33,2 milhões
5º Agüero – R$ 32 milhões
6º Drogba – R$ 30,7 milhões
7º Torres – R$ 27,6 milhões
8º Conca – R$ 27,1 milhões
9º Messi – R$ 26,8 milhões
10º Cristiano Ronaldo – R$ 25,6 milhões


%d blogueiros gostam disto: