Semana para despachar os “Santas”

14/05/2013

A semana é de decisão para a dupla Gre-Nal e decisões abençoadas. Aqui no Estado, o Internacional decide seu futuro na Copa do Brasil diante do Santa Cruz. Um pouco mais longe, na Colômbia, é o Grêmio que vai ou racha na Libertadores contra o Santa Fe.

O primeiro a entrar em campo é o Colorado. Na quarta-feira, a partir das 22 horas, o time de Dunga enfrenta a equipe pernambucana, que assim como o gaúcho, também venceu o estadual. Motivado com a vitória sobre o rival Sport, o Santa Cruz desembarcou ontem à noite em Porto Alegre e o discurso dos jogadores era um só: atacar!

No jogo de ida, o Colorado ficou no 0 a 0 contra o Santa Cruz

No jogo de ida, o Colorado ficou no 0 a 0 contra o Santa Cruz

Que Dunga e companhia estejam de ouvidos bem abertos porque, convenhamos, 0 a 0 em Pernambuco não é lá um grande resultado. Qualquer empate com gols dá ao Santa Cruz a chance de seguir vivo na Copa do Brasil. Em contrapartida, 1 a 0, um placar fácil para o elenco colorado, garante o Inter na próxima fase.

E como falamos em “discurso”, lá nas alturas de Bogotá uma entrevista do atacante Wílder Medina ao jornal Marca fez a comissão gremista soltar “fogo pelas ventas”. Em público, e para os jornalistas, o papo foi amenizado, mas uma declaração do assessor de futebol do Grêmio, Marcos Chitolina, deu o tom que será o vestiário. “Vamos ver ainda se usamos a frase no vestiário. Depois do jogo, vamos decidir quem vai comer quem”, afirmou Chitolina.

Grêmio terá que entrar em campo com essa mesma garra de Fernando (Foto: Guilherme Testa/ Fotoarena)

Grêmio terá que entrar em campo com essa mesma garra de Fernando (Foto: Guilherme Testa/ Fotoarena)

Em mais um jogo decisivo o tricolor terá que entrar novamente em campo sem Luxemburgo. O técnico gremista teve a pena de seis jogos de suspensão mantida pela Conmebol. Quem guiará o time novamente é Roger – o que eu acho bem bom, mas isso é assunto para outro post.

Por ora, rezemos para os “Santas” entrarem em campo como coroinhas e que obedeçam aos deuses gaúchos!


E começa a Copa do Brasil…

02/04/2013

É muito interessante esta sistemática da Copa do Brasil, mas convenhamos, é muito estressante em alguns casos. Veja o caso do Inter. O time porto alegrense, depois de 10 horas de viagem, chegou ao Acre, que além de ser longe pra caramba ainda tem uma hora de fuso horário. Quer coisa mais estressante do que isso?

Pois bem, mas ainda assim continuo sendo uma defensora, mesmo que para isso, em alguns momentos, tenha que se abrir mão do conforto. Os caras ganham um baita salário e podem. E agora, o que dizer do adversário? Neste caso, a coisa é injusta. Só o salário do D’Alessandro pode cobrir a folha de pagamento do Rio Branco por um ano. O time todo ganha R$ 80 mil. Caso o Inter não ganhe por mais de dois gols de diferença, o time do norte terá que vir para Porto Alegre.

Mudando um pouco de assunto, mas ainda o mesmo foco

A dimensão continental do Brasil deve ficar de lado quando falamos de futebol. Temos nas regiões norte e nordeste os maiores públicos em jogos. Em contrapartida, temos no sul e no sudeste os maiores times, os jogadores mais bem pagos, os melhores estádios, etc.

Os pequenos times dos interiores do País conseguem em jogos como este Rio Branco e Inter, por exemplo, encher o caixa e dar mais dignidade aos seus jogadores e ainda, em alguns casos, até fazer uma reforminha no estádio. Imagina se derrubar um grande?! Aí sim, é festa! Isso sem contar a possibilidade do torcedor, que está fora da sua terra natal, encontrar com o time de coração, que em outra ocasião não iria tão longe jogar uma partida.

Isso é o que eu acho de mais legal na Copa do Brasil. Esta oportunidade de trocas, de conhecimento, de admiração, de público, de igualdade, mesmo que desigual, é o que faz com que o futebol fique um pouquinho mais justo no Brasil.

Só pra lembrar

Este ano, a Copa do Brasil será disputada por 86 clubes e será dividida em sete fases regidas pelo sistema de eliminatórias simples em partidas de ida e volta. O clube que somar o maior número de pontos ganhos ao final do confronto estará classificado para a fase seguinte. Na primeira e segunda fases, o clube visitante que vencer a primeira partida por dois ou mais gols de diferença estará automaticamente classificado sem a necessidade da realização da partida de volta.

Por disputar a Libertadores da América, Grêmio, Fluminense, Corinthians, Atlético Mineiro e Palmeiras entram na disputa apenas nas oitavas-de-final assim como o Vasco, que herdou a posição do São Paulo (que além da Libertadores, também participa da Copa Sul-americana e não participa da Copa do Brasil).


A noite decisiva para um líder

10/07/2012

Amanhã é dia de decisão na Copa do Brasil. Coritiba ou Palmeiras? O time de Felipão saiu na frente, com dois gols a zero, na Arena Barueri, mas o jogo de volta será no Couto Pereira, onde o Coxa tem um belo retrospecto. Antes da bola rolar, o líder alviverde – e conhecido dos gremistas – Tcheco falou conosco.

Tcheco acredita em jogo épico, no Estádio Couto Pereira (Divulgação).

Qual foi o sentimento do Coritiba após o jogo contra o Palmeiras, na Arena Barueri, diante de tantos lances polêmicos?

Sentimento de nojo, raiva e injustiça. Lances em que o árbitro estava sempre perto, mas interpretava de maneira equivocada. Já perdi um campeonato Brasileiro pro São Paulo em 2008, com impedimento de UM METRO, marcado pelo Borges, hoje no Cruzeiro, e o que aconteceu semana passada poderá ser crucial no resultado final, por isso a nossa revolta. Você treina, trabalha desde janeiro, passa por pressão de torcida, de clube, até mesmo sua  e num lance crucial da arbitragem o nosso trabalho pode ir por água abaixo, um sonho do torcedor. Erros os árbitros vão cometer, é inevitável, mas erros absurdos e em momentos finais é difícil de aceitar.

 Como está sendo a preparação do grupo durante essa semana?

O time já estava bem preparado. No primeiro jogo, a preparação foi mais emocional do que dentro de campo, ainda mais pelo resultado e como foi. Continuamos bem focados e queremos tentar fazer um jogo épico, entrar para historia, e para isso teremos que apresentar um futebol à beira da perfeição. Vamos lutar até o fim.

Além do retrospecto positivo no Couto Pereira, o que será determinante amanhã? 

Estar bem equilibrado, afinal, como a emoção está à flor da pele, o sentimento de querer resolver tudo de uma vez pode atrapalhar. O equilíbrio será fundamental, pois estamos correndo contra o tempo. Temos um bom time, um bom retrospecto dentro do Couto Pereira. Será fácil? Não será, mas não é nada do outro mundo.

 Vez ou outra é possível ver/ler as manifestações dos torcedores gremistas a teu respeito, como é ser lembrado com tanto carinho depois de 3 anos?

Meu sentimento pelo Grêmio nunca mudou, depois desse tempo todo eu, realmente, tenho noção do carinho. Ainda vou assistir um jogo no Olímpico para me despedir do estádio, afinal de contas vivi momentos memoráveis lá. O que ficou daquela época foi a saudade de amigos, de entrar em campo no Olímpico, de poder vestir a camisa tricolor e fazer o que mais gostava, jogar bola.

 A vitória de amanhã e o ingresso na Libertadores adiariam tua aposentadoria? Pretendes seguir trabalhando com futebol?  

Vou me aposentar mesmo, apesar de ser um momento muito difícil para um jogador, me sinto realizado, principalmente, pelos clubes que passei, pelos momentos inesquecíveis – feliz ou triste – por conhecer culturas, países, amigos, etc. Provavelmente ficarei no Coritiba até o final do ano com a comissão técnica, mas a minha função ainda não está definida. Em dezembro, terei uma ideia se é isso que quero, seja o que for, vou me preparar pra enfrentar um novo desafio na minha vida.


Verde que te quero verde!

05/07/2012

Depois da decisão da Libertadores, chegou a hora do país ter o seu primeiro campeão nacional do ano. Hoje Palmeiras e Coritiba fazem o primeiro duelo pela grande final da Copa do Brasil.

Na Arena Barueri, às 21h50, o Palmeiras, de Felipão, tentará conseguir uma boa vantagem para a finalíssima, semana que vem, no Couto Pereira. Já o Coritiba, que busca um título inédito na história do clube, pode contentar-se com um empate na casa do adversário, sem deixar, claro, de tentar balançar as redes, já que teve a sorte de decidir a competição ao lado da sua torcida, dentro do seu campo.

marcelo

Marcelo Oliveira estava no comando da equipe, quando o Coritiba perdeu para o Vasco na final da Copa do Brasil.

Horas antes do jogo, o Verdão mandante da partida de hoje, teve uma péssima notícia pra repassar à sua torcida: Barcos está fora do jogo. Ele sofeu uma crise de apendicite e passou, inclusive, por cirurgia na tarde de hoje, no Hospital São Luiz. O atacante também deve ser desfalque na grande final da Copa do Brasil, dia 11 de julho.

Sem o argentino, o técnico Luiz Felipe Scolari tem apenas duas opções no banco de reservas: Maikon Leite e Betinho.

Coritiba: Vanderlei; Jonas, Emerson, Pereira e Lucas Mendes; Willian, Júnior Urso, Gil, Rafinha e Everton Ribeiro; Everton Costa.

Palmeiras: Bruno; Artur, Maurício Ramos, Thiago Heleno e Juninho; Márcio Araújo, Marcos Assunção, João Vitor e Valdivia; Mazinho e Maikon Leite/Betinho.


Grêmio da adeus a CB 2012

22/06/2012

Em 5 minutos, no Monumental, perdemos a classificação pra final da CB 2012.

Grêmio foi sucumbido em casa pelo Palmeiras.

O tricolor gaucho foi para Barueri tendo que buscar um placar de 2 ou mais gols de diferença. O jogo começou eletrizante…jogadores querendo mostrar que estavam afim, mas faltou qualidade. O ataque não funciona, pois o time não tem um camisa 10 e laterais que apoiam.  MM brigou, foi atrás da bola, disputou, mas sem sucesso. Kleber aos poucos vai retomando o ritmo.

O jogo pegou fogo. Lembrou os áureos tempos da grande rivalidade dos anos 90. Aos 34 minutos da etapa final,  Barcos recebe a bola e parte para o ataque, Rondinelly, com um carrinho por trás para o lance e é expulso. Ali iniciava mais uma confusão. O LD, Edilson, parte pra cima do zagueiro Henrique dando-lhe um soco…imediatamente é expulso tbm. Victor em seguida da um bico na bola e os jogadores gremistas cercam o arbitro. Depois de consultar o bandeira, Henrique também foi expulso.

Não julgo a atitude do Edilson, foi sim exagerada, mas mostrou que tem sangue nos olhos. Não comemoro o soco como se fosse gol, mas jogador de futebol tbm chega no seu limite.

Agora é levantar a cabeça. Primeiro semestre pro Grêmio acabou, agora é tentar juntar forças e seguir acreditando em algum título. Torcer e muito pros reforços chegarem e acreditar que ZR10 e Fábio Aurelio sejam efetivos.

Odone, tua hora vai chegar. No final do ano, nós gremistas, vamos lhe dar um soco na fuça. Vamos  te derrubar nas urnas.

Vamos libertar nosso Grêmio das mãos desses prepotentes nas próximas eleições.

FORÇA, GRÊMIO!!

Gisele Paixão

Levantando a Bandeira Azul no Salto Alto FC.

 

 

 

 


Um curinga chamado Felipão

22/06/2012

Foto: Ale Vianna

O Grêmio precisava de dois gols para levar aos pênaltis. Os jogadores sabiam disso e mostraram vontade de reverter o placar da semana passada. Do outro lado, um Palmeiras que, com o desfalque de Marcos Assunção, foi obrigado a marcar mais do que atacar. O problema é que quando a bola chegava à frente, assustava a zaga e, principalmente, o goleiro gremista. Já deu para imaginar o que aconteceria, não é mesmo? Faltas, diga-se de passagem, muitas faltas. Essas começaram a ser marcadas antes mesmo do primeiro chute a gol. Bem como a aparição dos cartões amarelos.

O primeiro susto aconteceu aos 17 minutos, quando Maurício Ramos, completamente livre, mandou em direção ao gol, mas com o pé esquerdo, Victor salvou. Embora o Grêmio tenha arriscado, não obteve sucesso nas finalizações. Souza, Léo Gago, Kléber, Marcelo Moreno e Marco Antônio bem que tentaram, mas…. As duas chances mais perigosas vieram somente no final da primeira etapa.

No segundo tempo, a única mudança aconteceu no Grêmio, com a substituição de Souza por Rondinelly. Logo após, André Lima no lugar de Marco Antônio. Mas foi dos pés de Fernando que surgiu o gol, após uma cobrança de falta. O time de Luxemburgo estava propondo o jogo – se tivesse jogado assim em Porto Alegre, o resultado teria sido diferente – e com o placar aberto, Felipão resolveu mexer.

Valdívia, no lugar de Daniel Carvalho. E todos sabem que quando se trata de Felipão as cartas na mão se transformam em curingas. Jogadores que entram e fazem a diferença. Se, em Porto Alegre, Mazinho ajudou a definir o jogo, em Barueri foi a vez do chinelo. Aos 27 minutos, iniciou a jogada, tabelou com Juninho e empatou.

Depois disso, o Grêmio, que já estava em maus lençóis, perdeu para  a falta de equilíbrio. Novamente. Rondinelly e Edílson, por indisciplina, expulsos de uma só vez, junto com o capitão do Palmeiras Henrique.

Verdão na final da Copa do Brasil. Para o tricolor gaúcho, Brasileirão e  Sul-Americana.

PALMEIRAS: Bruno; Artur, Thiago Heleno (Leandro Amaro), Maurício Ramos e Juninho; Henrique, Márcio Araújo, João Vítor (Patrik), Daniel Carvalho; Mazinho e Barcos

GRÊMIO: Victor; Edilson, Werley, Gilberto Silva, Pará; Fernando, Souza (Rondinelly), Léo Gago, Marco Antônio (André Lima); Marcelo Moreno e Kleber

Cartões amarelos: Daniel Carvalho, Barcos, Valdivia, Gilberto Silva, Kleber, Pará.

Expulsões: Rondinelly e Edilson; Henrique.


Apagão no Olímpico

14/06/2012

Por enquanto, vantagem de Felipão. Foto: Edu Andrade / Agência O Globo

Nesta semana muito se ouviu que o Grêmio jogaria sem dificuldade. Não foi isso que se viu. Decisões afastam qualquer teoria. O primeiro jogo entre Grêmio e Palmeiras, rumo à vaga na final da Copa do Brasil, teve um primeiro tempo para testar a paciência de qualquer torcedor. O principal – e mais perigoso – lance da partida aconteceu nos últimos minutos, quando Fernando fez uma excelente cobrança de falta, mas o gol foi impedido pela trave do goleiro Bruno. Inclusive, a tensão era tão grande que o árbitro Héber Roberto Lopes estava um tanto atrapalhado.

Na segunda etapa, enquanto esperavam-se mudanças em ambas as equipes, os técnicos preferiram apostar nos mesmos jogadores. E a tensão continuou. Aos 23 minutos, o Palmeiras começou a mostrar uma leve superioridade ofensiva (porque a defensiva já estava sendo muito bem feita) com uma arrancada de Barcos. Logo depois, ele chegou outra vez mostrando que o Palmeiras queria a vantagem fora de casa.

E aí Luxemburgo preferiu trocar o ataque gremista, Kléber e Miralles foram substituídos por André Lima e Marcelo Moreno. O contestado camisa 99 quase marcou, depois de receber o cruzamento de Pará.

Enquanto isso na Libertadores, apagão na Vila Belmiro, mas o efeito surtiu no Olímpico. Dois gols em menos de quatro minutos. Mazinho, recém em campo, marcou o primeiro. E aos 45, foi a vez de Barcos, de cabeça, colocar a bola na rede. Fim de jogo! Situação complicada para o Grêmio, que semana que vem joga fora de casa, na Arena Barueri. Grande resultado para Felipão.

Grêmio: Victor; Gabriel, Werley, Gilberto Silva e Pará; Fernando, Souza, Léo Gago e M. Antonio (Rondinelly); Miralles (Moreno) e Kleber (André Lima).

Palmeiras: Bruno; Artur (Cicinho), Tiago Heleno, Maurício Ramos e Juninho; Henrique, João Vitor, Marcos Assunção e Daniel Carvalho (Mazinho); Luan e Barcos.

Gremistas, como vocês escalariam o time no dia 21?


%d blogueiros gostam disto: