Adeus Fernando e se antena Grêmio

05/06/2013

imagesNa semana em que o Grêmio encheu os bolsinhos de dinheiro com a venda de um dos seus principais jogadores, o Fernando, o time gaúcho enfrenta aí pela frente as últimas rodadas do Campeonato Brasileiro antes que comece de vez a Copa das Confederações. Hoje a partida é contra Vitória na casa do Tricolor, a Arena.

Não dava para dizer que foi um susto o atleta gremista ter sido vendido. Desde suas contratações, a especulação de venda do jogador era alta. Pois bem, Fernando, foi vendido ao Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, por R$ 36 milhões. Desse valor, o clube gaúcho ficará com R$ 27,8 milhões, o jogador embolsará R$ 2,7 milhões e R$ 5,5 milhões serão divididos como comissão para empresários.

Sem Fernando e os demais que estão na lista do Departamento Médico (o famoso DM), a situação do time azul vai se complicando. Com uma vitória e um empate no brasileirão, o professor Luxa comanda o time da seguinte forma:  Dida; Pará, Bressan, Werley e Alex Telles; Adriano, Souza, Guilherme Biteco [Elano] e Zé Roberto; Kleber e Barcos. O jogo na Arena inicia às 21h.


Colorados e tricolores de olho no G4

27/10/2012

A rodada do final de semana terá a dupla Grenal empenhada na busca de uma boa seqüência de vitórias. Impulsionados pelas viradas da quarta-feira, Grêmio e Internacional agora enfrentam Bahia e Palmeiras, dois times que brigam na parte de baixo da tabela.

A dupla entra em campo pensando na Libertadores – Fotos: Internacional.com – Rodrigo Buendia / AFP

O Inter é o primeiro a entrar em campo. O colorado pega o Palmeiras, às 16h30 no Beira-Rio, com pelo menos duas mudanças no time, em relação aos titulares da última partida. Além de Damião, que segue fora do time devido a um desconforto muscular, Fernandão também não contará com Dagoberto, com lesão na coxa, e com Ygor, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Rafael Moura e Josimar devem ser os substitutos. Há ainda a possibilidade de Índio voltar à zaga, na vaga de Juan.

Já o Grêmio enfrenta o Bahia, às 18h30, em Pituaçu. O Tricolor mais uma vez não contará com Facundo Bertoglio, que sofreu nova lesão muscular. O argentino deve novamente ficar afastado dos gramados, sendo inclusive cortado da lista da Copa Sul Americana. O meia Zé Roberto, que tem sido o destaque do Grêmio nas últimas partidas, cumpre suspensão nessa rodada. Em seu lugar, quem deve jogar é Marco Antônio.

Neste momento do campeonato, o objetivo da dupla é o mesmo: garantir um lugar no G4 para disputar a Copa Libertadores 2013. O Grêmio é quem está mais próximo de atingir essa meta, já que disputa com o Atlético-MG a vice-liderança do Brasileirão, que dá direito a uma vaga direta à Libertadores. O caso do Inter é mais complicado. Ele está em sexto lugar e se apega às chances matemáticas de classificação, precisando dar uma arrancada na reta final e ainda torcer por tropeços dos adversários.

Provável Inter: Muriel; Nei, Rodrigo Moledo, Juan e Kleber; Josimar, Guiñazu, Fred e D’Alessandro; Diego Forlán e Rafael Moura.

Provável Grêmio: Marcelo Grohe; Pará, Werley, Naldo e Anderson Pico; Fernando, Souza, Marco Antonio e Elano; Kleber e Marcelo Moreno.


Ladeira abaaaaaaaaixo!

15/10/2012

Está cada vez mais dramática a situação do Palmeiras.

Torcedores voltam a protestar contra desempenho do time.

 

Ontem a tarde, com a derrota para o Náutico, o Verdão chegou ao terceiro jogo consecutivo sem somar um pontinho sequer. Desfalcado de importantes jogadores – como Marcos Assunção e Barcos, o time comandado pelo técnico Gilson Kleina teve uma boa atuação dentro dos Aflitos, mas não foi efetivo o suficiente para sair com um resultado positivo na mala.

Mesmo tendo que correr contra o tempo desde os 13 minutos de jogo, quando o Timbu abriu o placar, o Palmeiras não foi um time desesperado pelo empate, tampouco nervoso em campo. As melhores chances foram dos paulistas, mas Luan, Obina e Tiago Real, protagonistas nas oportunidades mais claras, não trataram de concluir com eficiência.

Quando tudo pode piorar, acredite, piora. O Verdão teve um segundo tempo diferente do que havia sido o primeiro. Nervoso e sem conseguir ingressar na área adversária, o time ainda perdeu Thiago Heleno, expulso. Ao Náutico, que cada vez vê mais distante a sombra da zona da degola, só restou administrar o resultado até o trilar do apito.

Aldo Carneiro/Folhapress

18º colocado na tabela do Brasileirão, o Palmeiras precisa de uma arrancada histórica para seguir na série A – semelhante a do Fluminense de 2009. O Bahia, que é o primeiro time fora da zona da degola, com 9 pontos de vantagem em relação ao Verdão, é o próximo adversário.

O resultado do confronto que ocorrerá às 19h30 da próxima quarta-feira, pode reacender a chama de esperança dos palmeirenses ou acabar de vez com qualquer chance de permanecer na elite do futebol brasileiro – uma vitória do time nordestino aumenta para 12 pontos a diferença pro Palmeiras, num universo de apenas sete rodadas restantes.

– Infelizmente estamos colhendo o que plantamos… Reage, Palmeiras. Sempre juntos – escreveu o eterno camisa 12 do Palmeiras e ídolo máximo, o ex goleiro Marcos.

Falando nisso, o jogo de despedida do goleirão está marcado para a segunda semana de dezembro. Já imaginaram que situação, se o rebaixamento do Verdão for confirmado uma semana antes, na última rodada do Brasileirão? É, amigos… E eu que ainda acreditei naquela “reação” que a equipe ensaiou logo na chegada do técnico Gilson Kleina.


Vitória com um toque ímpar.

05/08/2012

5-7-9 não é um sistema tático de futebol, mas hoje, contra o Bahia, foi o jeito que o Grêmio conseguiu carimbar a permanência no G-4. Afinal de contas, os gols saíram dos pés dos donos da sequência ímpar do uniforme gremista.

Domingo combina com sol, com futebol e com estádio lotado. Hoje, Porto Alegre teve uma tarde cinza, mas, nem por isso, o Olímpico foi um estádio vazio. Em mais uma vitória do Grêmio na sua casa, o futebol apareceu da melhor forma: pegado, equilibrado e resultando em gols.

No primeiro tempo, o domínio foi todo dos mandantes. Com destaque para as atuações de Gilberto Silva, Souza, Zé Roberto e Pará, o Grêmio possuiu mais posse de bola e deu muito trabalho para o goleiro Marcelo Lomba, ele que teve uma tarde inspirada e segurou todas as chegadas do ataque gremista.

Mas se o Bahia tinha o seu Marcelo como destaque, pelo lado do Grêmio o Marcelo Moreno não estava conseguindo efetivar as jogadas e balançar as redes adversárias. O camisa 9 do tricolor recebeu bola do Pará, do Kleber, do Elano, Zé Roberto, mas a bendita redondinha parecia não querer entrar. E, se não vai por bem, que vá por mal. Ou melhor: que vá a força.

A jogada que resultou no primeiro gol do Grêmio, começou nos pés de um novo ídolo do torcedor. Desde a sua chegada no clube, Elano caiu no gosto da torcida – mesmo sem ter balançado as redes vestindo a camisa sete do tricolor, o meia não precisou de muito tempo para agradar o torcedor gremista. Numa cobrança de lateral, Elano tentou mandar a bola para Kleber; o camisa 30, antes de pensar em dominar, foi derrubado pelo conhecido zagueiro Titi. Pênalti marcado e comemorações calorosas de mais de vinte mil torcedores. Motivo de chacota no que diz respeito à cobranças de penalidades máximas, Elano foi o escolhido para bater. Sem chances para o goleiro Marcelo Lomba, o meia mandou no lado direito e deixou, pela primeira vez em sete jogos, a sua marca com a camisa azul, branca e preta.

Grêmio

Foto: Guilherme Testa

O segundo gol parecia sair numa pequena questão de tempo. O Grêmio estava bem posicionado, pressionando um Bahia destemido, mas não conseguiu sucesso durante o primeiro tempo de partida.

Na volta, um jogo com uma outra cara. O técnico Caio Junior teve estrela e colocou um jogador que atrapalhou a defesa gremista: Lulinha chegou e já levou perigo nos primeiros três minutos do tempo complementar. Com a sua defesa exposta, Luxemburgo tirou o lateral Edilson, para colocar Léo Gago, assim como trocou Fernando por Marquinhos.

Diferente do primeiro tempo, o Grêmio não conseguia se impôr. O Bahia esteve muito bem, principalmente nas jogadas de contra-ataque e começou a dar o trabalho que Marcelo Grohe não teve nos primeiros quarenta e sete minutos. A sorte? Gilberto Silva, o capitão, protegeu muito bem a defesa. Ele que foi quem puxou as orelhas de Werley, quando o zagueiro não marcou Fahel e apenas assistiu o time nordestino chegar ao empate.

1 a 1, com os resultados paralelos de momento, levavam o Grêmio para a sexta colocação. Do céu, à zona do limbo. O Grêmio poderia terminar em terceiro, mas estava vendo a rodada fechar com Inter na quarta colocação e sem figurar na zona de classificação à Libertadores da América.

Num segundo tempo de pressão e muita correria, o jogo tinha tudo para terminar igualado e, inclusive, seria um resultado de justiça se assim acontecesse. Só não avisaram isso a Souza, que aproveitou a boa cobrança de escanteio de Marquinhos e, de cabeça, mandou a bola pro gol. Com a torcida delirando por estar de volta ao G-4 e carimbar mais uma vitória importante dentro do Olímpico, que está com seus dias contados, o Grêmio encaminhou os três pontos já nos últimos minutos de jogo.

Agora, voltamos ao topo da crônica. Marcelo Moreno não conseguia balançar as redes. Marcelo Lomba estava defendo todas as bolas. Com 2 a 1 para o Grêmio, o filme tinha tudo pra mudar. E Moreno quis ser um dos protagonistas nessa história de comemoração. O camisa 9 viu o camisa 5 e o camisa 7 balançar as redes adversárias; pra fechar a tarde que já virava noite com chave de ouro, o atacante boliviano completou a sequência ímpar e, com um golaço encobrindo Lomba, fez a torcida que tanto o aplaude no anúncio inicial dos jogadores, incendiar o estádio Olímpico Monumental.

Em poucos segundos, Mancini foi expulso e todo o elenco do Bahia, inclusive membros da comissão técnica, pressionaram a arbitragem. Com inúmeras reclamações, o time nordestino povoou o meio de campo em vão: o árbitro trilou o apito. Grêmio, no G-4, 3, Bahia, no Z-4, 1.

GRÊMIO

Marcelo Grohe; Edilson (Léo Gago), Werley, Gilberto Silva e Pará (Tony); Fernando (Marquinhos), Souza, Elano e Zé Roberto; Kleber e Marcelo Moreno – Técnico: Vanderlei Luxemburgo

BAHIA

Marcelo Lomba; Diones, Danny Morais, Titi e Ávine (Lulinha); Fabinho, Fahel, Hélder e Mancini; Zé Roberto (Ciro) e Junior (Magno) – Técnico: Caio Junior


Empate com o ídolo

01/07/2012

A proposta era voltar de viagem com 4 pontos. Ganhou do Sport e empatou com o Bahia, conseguiu. Mas, para a torcida, é pouco. Quem quer ser campeão brasileiro não pode empatar jogos relativamente fáceis, como contra o Bahia.

Jajá não foi bem no jogo. (Foto: Alexandre Lops)

O jogo foi marcado pelo reencontro do colorado com Paulo Roberto Falcão, mas quem foi vaiado o tempo todo foi Bolívar, que no ano passado deu uma entrada dura em Dodô, e o jogador rompeu os ligamentos.

No final do primeiro tempo, quando o placar ainda estava zerado, Gabriel abriu o placar para a equipe baiana. No segundo tempo, o zagueiro Índio igualou.

Apesar do empate, o jogo foi muito bom, com grandes tentativas, mesmo que com poucos gols. Falcão saiu sem a vitória, mas com impressão de estar bem na equipe nordestina.

Bahia: Marcelo Lomba; Fabinho, Titi, Danny Morais e Elder; Fahel, Diones (Kléberson), Mancini e Gabriel (Vander); Elias e Jones (Lulinha). Técnico: Falcão.

Internacional: Muriel; Nei, Bolívar, Índio e Kleber (Fabrício); Elton, Guiñazu, Oscar, D’Alessandro e Jajá (Gilberto); Leandro Damião. Técnico: Dorival Júnior.


Agora sim a Copa do Brasil começou

24/05/2012

Falcão fez suspense, preferiu treinar com os portões fechados, mas não adiantou. No papel, o Grêmio entrou em campo com a vantagem de ter vencido fora de casa. No jogo, preferiu esquecer a vitória e partiu pra cima do Bahia criando oportunidades. Miralles, escalado no lugar de André Lima, não perdeu tempo. Aos 12 minutos, Edílson colocou o argentino em situação favorável de gol. Com o placar de 1 a 0, o tricolor gaúcho continuou explorando seu caráter ofensivo.

Após 15 minutos, Marcelo Moreno poderia ter ampliado… se Marcelo Lomba não houvesse feito uma baaaaaaaaaaaita defesa. E aqui vale ressaltar a postura do goleiro baiano e do zagueirão, de mais de 1, 90cm, Rafael Donatto. Independente do resultado, os caras foram guerreiros do primeiro minuto, que começou na Bahia, até o último em Porto Alegre.

No final do primeiro tempo, Falcão e companhia não foram para o vestiário somente com a desvantagem no placar, como foram “coroados” com vaias do maior público de 2012, no Olímpico. Por que será? Os gremistas jamais esquecerão o Gre-Nal de 2011.

A última etapa começou como a primeira, sem alterações e com o Grêmio pressionando, contando com uma dupla castelhana mais participativa do que nunca. Já aos 9 minutos, Miralles passou uma bola colocada para Marcelo Moreno, que fez o dele também. Enquanto isso, Víctor, do outro lado do campo, assistia a partida. Méritos ao Gilberto Silva que comandou a zaga, ao bloquear as tentativas de Ciro, Lulinha e Gabriel.

Miralles e Marcelo Moreno juntos me surpreenderam. Mas ainda prefiro destacar a atuação do Léo Gago, que criou bastante pela direita e pela esquerda. Seria uma Gagodependência gremista? Acredito que sim, pelo menos até chegarem os novos reforços.

Edu Andrade / Parceiro / Agência O Globo

Com oito vitórias consecutivas, o Grêmio enfrentará o Palmeiras de Felipão na semifinal da Copa do Brasil. Amanhãs às 14h acontece o sorteio das cidades mandantes de cada partida.  A prévia acontece neste domingo, quando os dois times se enfrentam  pelo Brasileirão.


Classificado?!

18/05/2012

O Grêmio venceu. E venceu de virada por 2 a 1. Se o placar correspondesse à postura do time, os gaúchos abririam uma larga vantagem, essencialmente na primeira etapa. A equipe do Luxemburgo dominou os primeiros 45 minutos de jogo e, ao mesmo tempo, não teve efetividade nas finalizações. E aí, o atacante Junior, empurrando a bola, aproveitou a única jogada perigosa e marcou para o  time da casa. Levando em contar o andamento do jogo, ninguém contava com o gol do Bahia,  mas…aconteceu.

E no último minuto, sem esperar também, Fernando marcou,  depois de desviar em Donato. Fim do primeiro tempo, tudo igual no Pituaçu, em Salvador.

Romildo Jesus

Não sei qual foi o discurso do Falcão no vestiário, mas o time baiano voltou para segunda etapa muito melhor. Atacando. O goleiro Víctor, pouco acionado até então, passou a ter trabalho com Lulinha, Fabinho e Gabriel. A equipe gremista foi envolvida, até Marco Antônio, no lado esquerdo, chutar forte, e a bola, que iria parar na zaga, ser desviada por Naldo diretamente para o gol. Com vantagem, o Grêmio voltou a controlar a partida até o final.

O jogo de volta está marcado para quinta-feira que vem, no Olímpico. Tudo bem que futebol é imprevisível, mas cá entre nós,  Grêmio já está classificado. O único empecilho que, na minha opinião, ele enfrentaria, seria a bola parada do Gabriel, coringa do Falcão.  Mas nem isso aconteceu.

 Bahia: Marcelo Lomba; Madson (Fabinho), Titi, Rafael Donato e Gerley; Fahel (Morais), Hélder, Diones e Gabriel; Lulinha e Junior (Vander).Técnico: Paulo Roberto Falcão

Grêmio: Victor; Edilson, Gilberto Silva, Naldo e Pará; Fernando, Souza (Leandro), Léo Gago (Marquinhos) e Marco Antonio; André Lima e Marcelo Moreno (Vilson). Técnico: Vanderlei Luxemburgo


%d blogueiros gostam disto: