Jogo contra o Grêmio serve de exemplo para o Galo

02/07/2012

Fernanda Galvão

A vitória de 1 a 0 sobre o Grêmio fez com que a equipe de Cuca deixasse a vice-liderança do Brasileirão para assumir o primeiro lugar na tabela. Os três pontos adquiridos no Olímpico serviram de inspiração para o comandante do Galo.

– Nós temos que pegar esse jogo como parâmetro para na mesma intensidade. Devemos ter essa vontade em todos os jogos. É lógico que o campeonato não vai ser uma maravilha, o céu tem tempestade também, mas se gente tiver que passar por elas que sejam bem curtinhas.

Segundo ele, a maneira mais simples de assegurar o posto é ter em mente que o Campeonato Brasileiro é composto por 38 rodadas, uma mais decisiva que a outra.

– Devagarzinho a gente ainda pode e deve evoluir. Temos que ter essa humildade e trabalhar ainda mais essa semana. Vocês até podem pensar que o próximo jogo será fácil, mas não vai ser, e a gente tem que provar isso sempre.

 Sobre Ronaldinho, o técnico prefere associa-lo ao grupo, porém não ignora o fato do dono da camisa 49 – em homenagem a mãe Miguelina – ter sido fundamental na jogada de Bernard que resultou o gol de Jô, aos 25 minutos do primeiro tempo.

 – O Ronaldo fez uma grande partida. Prendeu a bola, foi o homem de inteligência e finalizou a gol. Assim como toda equipe, ele jogou bem.

Cuca elogia as grandes defesas de Giovani no jogo de hoje, mas afirma que o goleiroVictor estará em campo no próximo final de semana.

– Na mesma condição dele, nós temos o Giovani e o próprio Renan. O Victor chega nesta condição para dar um suporte maior e uma acalmada, ainda maior, no torcedor.

 No domingo, às 16h, o clube mineiro enfrenta  a Portuguesa, no Independência.

Anúncios

Um por todos e todos por um?

02/07/2012

Agência O Globo

Atlético – MG termina a 7ª rodada no topo da tabela do Brasileirão ao vencer o Grêmio por 1 a 0.  Junto com a liderança, veio o grito de Ronaldinho, engasgado desde o dia 30 de outubro de 2011, quando, pela primeira vez, voltou ao Olímpico vestindo as cores do adversário. Mais do que R49, a partida de hoje trouxe algumas novidades.

Vamos enumerá-las?

1)      Anúncio de Victor como novo goleiro do Galo;

2)      Estreia de Marcelo Grohe com a camisa número 1 do Grêmio;

3)      Fábio Aurélio, que jogaria nesse domingo, lesionado – e que deve parar por seis meses;

4)      Retorno de Anderson Pico;

5)      Primeira atuação de Zé Roberto com a 10 tricolor.

No começo da partida, o Grêmio assumiu o domínio da partida. Trocava passes e esperava o momento de atacar, mas perdia o tempo das finalizações. Enquanto isso, Marcelo Grohe apenas observava.

Na linha de fundo, aos 25 minutos, o menino Bernard resolveu chamar a responsabilidade e além aplicar dois balões na zaga gremista, deu a bola de presente para Jô, ex-Inter, mandar para o fundo das redes.

Do outro lado, Giovani, que no próximo jogo deve passar seu posto para Victor, fazia defesas espetaculares. A mais perigosa saiu dos pés Z10, no final do jogo, e diga-se de passagem que o meia mostrou muuuuuuuita vontade.

Insatisfeito com o resultado, Vanderlei Luxemburgo resolveu apostar em Tony e Rondinelly, no lugar de Edílson e Léo Gago, como alternativa para melhorar o setor ofensivo. Mas quem não teve sossego foi Marcelo Grohe, que pôde provar a confiança depositada.

Agência O Globo

O Galo de Bernard (hoje podemos falar assim, né?) não só derrotou o Grêmio, mas cumpriu aquilo que havia prometido: jogar por Ronaldinho.


O tempo

31/05/2012

Ahhh o tempo… o tempo…

O Jornal Lance, no Rio de Janeiro, informa que Ronaldinho não é mais jogador do Flamengo.

Ronaldinho não é mais jogador do Flamengo

Ronaldinho não é mais jogador do Flamengo

Nesse momento, todos os gremistas se abraçam, agradecem pelo mico das caixas de som e fazem o sinal da cruz, afinal, a contratação do meia é uma das mais fracassadas da história do futebol brasileiro. E o Grêmio esteve bem perto de te-lo novamente, apesar de todo o passado.

Como um garoto brilhante dentro das quatro linhas pôde se tornar o que é hoje?

Se me falassem há, sei lá, seis, sete anos, que Ronaldinho se tornaria essa bomba, mandava internar.

Fui a favor da volta dele para o Grêmio ano passado. Fui fã do futebol desse rapaz, que por diversas vezes, encheu meus olhos com tamanha intimidade com a redondinha. Defendi sua convocação para a Copa 2010. E, juro, acreditei que ele poderia retomar o bom futebol no Brasil.

Me enganei, e me enganei feio.

O que será que o Ronaldinho vai falar?

Nada, ele não fala. Nunca vi o R10 se pronunciar por alguma coisa.
Assis fala, Ronaldinho diz amém.

Aliás, o meia não chegou a completar seis jogos pelo Flamengo no Campeonato Brasileiro, o que permite que ele possa atuar por outro clube ainda nessa edição.

Mas será que alguém vai querer?


A segurança por trás de uma grande partida

02/11/2011

Assim como a Laura escreveu no post anterior, este também será meu último sobre o embate entre Ronaldinho x Torcida gremista. Mas será com um foco um pouco diferente do que já lemos até então aqui no blog.

Para uma partida movimentada com estádio lotado e possibilidade de protestos não pacíficos de torcedores contra jogadores, a segurança precisa ser reforçada. E aqui trago para vocês uma matéria especial feita pelo Brasil Urgente RS que conta como ocorre todo o processo de preparação para partidas de grande porte em que se tem uma preocupação com a integridade tanto do público espectador quanto dos atletas envolvidos.

Neste caso, assim como ocorre em Gre-Nais, o Batalhão de Aviação da Brigada Militar foi acionado, auxiliando a policia via helicóptero, escoltando a delegação do Flamengo do hotel até o estádio Olímpico e ficando de prontidão para qualquer eventualidade. Vale a pena assistir:

Realmente, essa partida mexeu com todos os setores de Porto Alegre.


O últimos dos deboches

01/11/2011

Prometo que de minha parte será a última postagem sobre o tão falado, comentado e, principalmente, bem JOGADO evento do final de semana Grêmio 4×2 Flamengo.

Quanto a partida, já foi descrito aqui todos os passes, lances importantes e o bom futebol que o Grêmio apresentou diante do jogo que, por escolha, decidiu ser o mais importante. Lotou tanto quanto um Gre-Nal.

Mas dois fatores acho que merecem ser destacados em post. Não só um deles pela falta de respeito com o seu antigo time, mas também pela ousadia bem engraçada de um personagem da partida de domingo.

Primeiro caso: Depoimento de Ronaldinho Gaúcho em relação às vaias tomadas.

O repórter pergunta ao dentuço camisa 10 do Flamengo sobre o barulho do estádio. Eis que ele responde  “Para quem está acostumado com a torcida do Flamengo, isso não é barulho não”. 

Ok que moramos num país onde a liberdade de expressão é levantada como a bandeira da liberdade e que todo mundo aqui é bem grandinho e responsável pelo seus atos. Mas não levar na “brincadeira” ou ficar de cara com o seu ex-torcedor sobre alguns erros que tu cometeu e não saber lidar com a situação, é meio infantil demais.

Para contudo, abaixo anexo um vídeo para o pessoal que, principalmente o torcedor gremista, vai adorar. Um de seus jogadores mais contestados (fala muito) e por muitas vezes xingado, apresenta uma dancinha depois de um de seus gols diante do Flamengo. Quem fala o que quer (Ronaldinho), vê o que não quer.

Boa terça!


R10 x Grêmio – Briga de faixas

20/10/2011

Ronaldinho recebeu seu 3º amarelo no último jogo e por consequência não atuará neste fim de semana. Contra o Grêmio, estará liberadinho da Silva.

A torcida fervorosa já organiza protestos, faixas, xingamentos, “recepção” no aeroporto. E eu acredito que o craque não está nem aí para tudo isso.

Ronaldinho não é mais “Gaúcho” por culpa de duas direções que inflamaram a raiva da torcida. A primeira de Guerreiro, que o deixou sair de graça do Tricolor, sob faixa ilustrada abaixo:

Faixa exposta na entrada do Olímpico sobre Ronaldinho

A segunda, ocorrida no início deste ano, quando Odone fez um auê para contar com o jogador por aqui, esqueceu de montar o resto do time e, após muita falação com o irmão Assis Moreira, o menino criado no gramado do Olímpico foi parar na Gávea.

Gremistas expressam sua raiva contra o craque

Se a atitude de R10, em ambos casos, foi correta ou incorreta, já não importa. Seu prestígio jamais irá se recuperar no Grêmio. Duas direções queimaram um possível ídolo, que até o fim da carreira só poderá realizar boas atuações no Olímpico se for adversário do time da casa. Faixa de campeão? Ficaram apenas na lembrança os dois únicos títulos conquistados: Gauchão e Copa Sul em 1999.

Olha o dentuço aí agachado no canto esquerdo

E isso é passado. No presente, contra o Flamengo, as faixas serão estas:

Torcida organiza protesto contra R10

Quem sai feliz nessa história? Só as gráficas mesmo, que lucram com esse emabte entre Grêmio x Ronaldinho há 12 anos. =)


R10 e a promessa não cumprida

12/10/2011

O tempo passa e os dentões continuam os mesmos. Mas o pensamento: quanta diferença!

Vasculhando aqui e ali, encontrei este vídeo que pode ser conhecido de muitos, mas não de todos, e resolvi compartilhar:

Ronaldinho Gaúcho, após conquistar seu primeiro título pelo Grêmio, o Gauchão de 1999, declarou que jogaria de graça pelo seu clube do coração.

No começo de 2011, sob comando ímpar de Odone, analisamos que o pensamento de 12 anos atrás do craque foi por água abaixo. O sonho dele e de muitos outros garotos mudou com o passar do tempo e a visibilidade que o futebol oferece a grandes e jovens promessas.

E por que?

Não se joga mais por puro e simples ‘amor a camiseta’. Se joga por dinheiro, algumas vezes até por fama. É claro que nenhum jogador joga de graça, mesmo. Mas não precisa ganhar fortunas na Europa quando se pode ganhar menos, mas em um time que realmente defende com o coração. E eu continuo a procurar por explicações que me façam entender a má fase da Seleção, que vem desde 2002, quando conquistamos o penta na Copa. Ciente de que é consequência de inúmeros fatos, mas afirmando que este é um deles.

Futebol é paixão, minha gente. Logo passa. Não é mais amor.


%d blogueiros gostam disto: