De novo…

28/10/2011

…sonhamos com o Ouro e acordamos com a Prata?

Medalha de Prata no peito (Foto - Reinaldo Marques/Terra )

O ‘quase’ em competições de futebol feminino começa a incomodar. O Ouro chega a reluzir em nossos olhos, mas escapa em um lapso, aos 43min do segundo tempo, ou em disputas de penaltis, e faz desabar em nervos as guerreiras em campo.

Vamos contar a história do início. Nossa Seleção estreou no PAN estufando o peito de confiança diante da Argentina. E permaneceu assim até os 4min do primeiro tempo da partida final, contra o Canadá. A partir daí, foi nervosismo e desorganização por todo o resto dos jogos em que isto não ocorreu.

Não foi a primeira vez que deixamos escapar um título por falta de auto-controle. E ninguém pode dizer que o futebol delas deixou a desejar porque analisado no conjunto de todas as partidas, vimos muito bem que talento e habilidade temos ali. Falta o sangue frio para encarar uma decisão.

O apoio? Está sendo conquistado aos poucos, o público brasileiro vem se acostumando a torcer por rabos de cavalo lutando em campo e a imprensa vem abrindo espaço para divulgar o belo esforço que essas meninas fazem em campo.

Mas falta algo para conquistar um título! Alguém sabe me dizer o que?


Ficamos com a Prata!

28/10/2011

Brasileiras comemoram gol (Foto - AP)

Após o belo gol marcado por Debinha, logo no início da partida, em vez de abafar as gringas e ir em busca da ampliação do placar, nossas meninas ativaram o “modo retranca” e não criaram mais nada em direção ao gol que não fossem bolas rifadas e perdidas para as canadenses. O jogo ficou nervoso, e quem estava ganhando é quem mais sentiu e recuou.

O segundo tempo trouxe um pouco mais de vontade de matar logo a partida. Aos poucos, nossa Seleção retomou a confiança e lá pelos 30min começou a pressionar rigorosamente. LeBlanc operou milagres, a zaga canadense aguentou como pôde e, quando o domínio era todo brasileiro e o Ouro já estava brilhando nas nossas mãos, Sinclair cabeceia bola vinda de um escanteio e deixa a grande goleira Bárbara caçando borboletas. Empate, faltando 3min para o Brasil consolidar a vitória.

Pior, por pouco o nervosismo que se abateu sobre nossas meninas não resultou no segundo gol canadense. Por muito pouco, mesmo!

Prorrogação, nervoso dos dois lados, bolas chutadas ao léu, falta de comunicação entre meio campo e ataque, belas defesas de ambas goleiras e cansaço. Nada de gols. Penaltis!

O saldo da disputa foram duas defesas de LeBlanc e uma bola na trave. Justo de Debinha, aquela que quase nos deu o Ouro com seu gol no início da partida.

LeBlanc comemora diante da desolada Debinha (Foto - Reinaldo Marques/Terra )

Futebol é assim. E ficamos com a prata! Parabéns Canadá. Parabéns para nossas gurias guerreiras, chegaram a final e mostraram bom futebol. Merecido =)


%d blogueiros gostam disto: