Guerreiro Imortal garante vitória gremista diante da Ponte Preta

Divulgação

Parece que o jogo do Grêmio estava mesmo nos planos dos 40.760 gremistas, que lotaram o Olímpico na tarde de hoje. Nada mais justo para um estádio que já começa a dar adeus.

A partida contra a Ponte Preta, pela 34ª rodada do Brasileirão, não contou com Elano, Kleber e Gilberto Silva. Zé Roberto estava lá. Aos 3 minutos, o meia deixou Marcelo Moreno cara a cara com o goleiro, mas o camisa 9 deixou a bola escapar. Em seguida, na cobrança de escanteio, Z10 deixou a bola espalmar no primeiro travessão.

Nas laterais, Anderson Pico e Pará tiveram dificuldades de jogar, uma vez que o time de Guto Ferreira não deu espaço pelos lados. A única solução de chegar à frente, foi trabalhar pelo meio, mas Marco Antônio, por exemplo, não conseguiu encontrar sintonia com Leandro. Contestado nos últimos jogos, o atacante entrou em campo nervoso. Em menos de 10 minutos, já havia marcado três faltas.

Apesar o volume de jogo gremista, quem se saiu melhor nas finalizações foi a Ponte Preta – essencialmente, nos contra-golpes. Se não fosse Anderson Pico parar a jogada, Róger teria aberto o placar ainda na metade do primeiro tempo

Do outro lado, Zé Roberto fez valer a faixa de capitão ao buscar orientar os atacantes a todo momento. Aos 18 minutos, após receber um cruzamento do camisa 10, Marcelo Moreno cabeceou, porém a bola foi para fora. Em resposta, no mesmo minuto, Luan, no contra-ataque, partiu com velocidade em direção a área gremista e, numa falha do zagueiro Naldo, o atacante se viu livre para passar a bola para Roger. Sorte do Marcelo Grohe, que a bola foi sem força.

Novamente no contra-golpe, a Ponte Preta assustou a defesa gremista. Desta vez, com Nikão, que mandou uma bomba em direção a Marcelo Grohe. O primeiro tempo terminou, assim, sem gols e com Anderson Pico lesionado.

Na etapa complementar, o Grêmio voltou com a mesma intensidade de jogo e com Júlio César, na lateral-esquerda. A diferença é que a falta de conclusão dos tricolores fizeram com que os torcedores aplaudissem qualquer finalização – até mesmo as ruins, como a de Pará aos 8 minutos.

Mas o aplauso mais alto veio no momento em que auxiliar de Vanderlei Luxemburgo, Antonio Luiz Lopes, chamou Elano. A entrada do meia surtiu efeito e foi a vez da defesa adversária passar trabalho. Até aos 25 minutos, quando Rildo avançava pela lateral e Júlio César se viu obrigado a dar um carrinho para evitar o gol. A falta resultou em expulsão.

Mesmo com um a menos, o Grêmio seguiu pressionando. O torcedor, já impaciente, deixava o estádio. Aos 45 minutos, quando a sina do empate se repetia para os tricolores, Zé Roberto cruzou uma bola na cabeça de André Lima, que mesmo empurrado pelo goleiro Gilberto, subiu e fez. O Guerreiro Imortal não fez outra coisa, senão correr para a torcida.

A vitória contra a Ponte Preta quebrou a fase de “empatite” e reascendeu a esperança na briga pelo segundo lugar no Campeonato Brasileiro.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: